Site para advogados? O que você precisa saber, mas ainda não te contaram? Com a evolução da tecnologia, as profissões se viram obrigadas a se readaptarem. Hoje em dia, a internet se tornou um espaço público, mas não são todos os profissionais que sabem se destacar. Sendo assim, no meio jurídico, nada foi diferente. Apesar do apego às tradições do direito, os advogados já estão percebendo que ficarão para trás se não levarem os seus escritórios para o ambiente digital.

Então, caso você já tenha um site e queira saber quais são os seus erros e os seus acertos, se você quer criar um, ou se não fazia ideia de que isso era uma necessidade, este é o lugar certo. Veremos aqui se vale a pena ter um site institucional, a importância que um endereço eletrônico tem na captação de clientes, os grandes erros cometidos por advogados em sites, dicas para você aplicar de uma vez e o porque de se ter um blog. Além disso, mostraremos o que deve ser feito para a criação de um site do zero! Fique até o final deste conteúdo e entenda cada um desses pontos detalhadamente.

Se você preferir, pode ouvir ou assistir a esse conteúdo. É só escolher e dar o play!

Vale a pena ter um site institucional para o seu escritório de advocacia?

Muita gente hoje em dia acredita que o Instagram é o cartão de visita da empresa e se questiona o motivo de se ter um site para advogados, quando se pode ter apenas uma conta nessa ou em outas redes sociais. Ou então, que ter um canal no YouTube é mais fácil de gerir, traz mais visibilidade… Mas a realidade é que vale muito à pena sim! Diferentemente das redes e das demais mídias sociais, o site nunca “sairá de moda”. Trata-se de um ambiente que é só seu, que independe de estar no auge e que você não precisará lutar contra algoritmos. O seu site é o espaço no qual dá para contar a sua história.

Suponha que algum potencial cliente pesquise: “advogado trabalhista em Curitiba”. Se você tenha um site bem elaborado, parte de uma estratégia sólida de marketing jurídico, certamente você será encontrado com mais facilidade.

A importância do site para a conquista de clientes

O primeiro ponto é que o site será o seu cartão de visita e uma ótima forma de você se apresentar para os atuais e para os possíveis clientes. Sites de advogados permitem que eles contem as histórias deles e dos respectivos escritórios. Esse tipo de plataforma é ideal para colocar a missão, a visão, os valores, inserir um portfólio e produzir conteúdo de valor.

No mercado da cidade na qual você atua, pode ser que os seus clientes só irão até você se eles entrarem na sala na qual você trabalha. Chegará um momento no qual o mercado pode ficar saturado e a procura pelo seu trabalho naquele lugar diminua. Entretanto, no ambiente online você pode expandir as suas áreas de atuação, quem sabe até para fora do país. A grande oportunidade que a internet traz é a de permitir que você alcance pessoas de lugares completamente diferentes do que você reside e está acostumado a trabalhar.

Ter um bom site passa uma boa reputação, aumenta a credibilidade do profissional do direito. Clientes que tem interesse no seu trabalho podem querer pesquisar por conta própria sobre a sua atuação e, se você é encontrado facilmente na internet, caso eles gostem, grandes são as chances de contratação.

Os maiores erros cometidos na criação de sites

Criar e gerir um site é um grande desafio. Mas, ninguém disse que seria fácil. Ainda mais se você procura se destacar da grande concorrência encontrada no mercado jurídico. E você sabe quais são os erros frequentes nos sites para advogados?

  1. Achar que não é preciso ter um site: como foi dito anteriormente, muitos advogados pensam que ter uma conta no Instagram é o suficiente. Mas eles se esquecem que as redes sociais, de forma geral, trazem limitações de tráfego, de alcance e que elas são usadas para direcionar a pessoa para outros links, outros espaços virtuais;
  2. Investir em excesso na aparência de sites no início: o trabalho dos web designers é, de fato, dificílimo. Por isso, caso o seu escritório ainda não seja rentável e as suas visitas no site sejam poucas, não vale a pena, a princípio, gastar tanto dinheiro nisso. É a mesma coisa que gastar muito dinheiro com a reforma da fachada de um escritório localizado em uma rua onde não passa ninguém! No início, a sugestão que damos é apostar em designs mais simples, porque o objetivo principal, neste momento, é atrair pessoas para entrar no seu site. Ele deve ser usado para gerar valor e provocar ações nos potenciais clientes;
  3. Focar nas páginas e esquecer do conteúdo: esse ponto é semelhante ao anterior, mas nesse caso, estamos falando especificamente das páginas de dentro do site. É importante que elas sejam claras, sucintas e atrativas. Contudo, o que gera valor para o cliente é o conteúdo que você produz. É em busca disso que ele está. E, além disso, o movimento do seu site será gerado a partir dos posts que estão publicados nele. Dessa forma, quando alguém pesquisa por algo na internet, é porque a intenção dessa pessoa é consumir um conteúdo, não apenas visitar uma página institucional de um site de advogados (que às vezes ela nem sabe que existe). Essa, inclusive, é uma maneira de conquistar novos clientes;
  4. Deixar o site na mão da equipe de TI: ou do seu primo que te deu “aquela força” na criação. De qualquer forma, o que queremos trazer com esse ponto é o senso de necessidade que você precisa desenvolver em conhecer todo o site, desde os contatos, passando pela equipe da empresa até cada conteúdo. É importante manter todas as informações sempre atualizadas e dominar todas as ferramentas! Deixando o site nas mãos de uma outra equipe, esses pontos podem passar despercebidos;
  5. Não ter um blog: como foi dito, o conteúdo é o que vai fazer com que você atinja o seu objetivo de ter um alcance maior. Se a sua prioridade é crescer na advocacia, você deve ter um blog. Isso é o que vai movimentar o site, impulsionar o seu nome para ser mais visível no Google. Utilizar somente uma estratégia focada em redes sociais para levar as pessoas para o seu site não é tão eficaz quanto produzir um conteúdo que será postado diretamente nele. Combine ambas!

Dicas práticas para você aplicar hoje no seu escritório de advocacia

O que você pode começar a fazer agora para o seu site de advocacia ser mais otimizado:

  1. Crie o seu site em uma plataforma que você conseguirá editar: opções interessantes para você o gerir sozinho são as desenvolvidas em WordPress ou Wix. Particularmente, nós da Freelaw preferimos a interface do WordPress – que seja somente para o blog -, uma vez que conseguimos adicionar plug-ins que nos auxiliam no direcionamento da gestão. Com ele, você não fica dependente de uma equipe de TI, porque ele é feito para leigos, não para profissionais do ramo;
  2. Não construa um site do zero: existem centenas de temas prontos que você pode adaptar para a sua necessidade e o WordPress te oferece várias opções gratuitas ou baratas! Essa é a opção chave para economizar, caso você ainda não possa encomendar um site com um programador;
  3. Instale o Google Analytics no seu site: a partir das métricas que essa ferramenta fornece, você entenderá quais estratégias devem ser traçadas para atingir cada vez mais pessoas na internet. O seu investimento será feito com base em dados, não em achismos. Com isso, você entenderá de onde vêm os seus visitantes, no que vale a pena investir mais, além de uma infinidade de outros dados relevantes para o sucesso do seu site;
  4. Crie um blog: voltamos a repetir que as pessoas podem te encontrar pelo seu conteúdo, não primeiramente pelo site! Então, invista em uma estratégia sólida e constante de postagem de conteúdos jurídicos direcionados para quem você deseja atrair. As redes sociais devem ser usadas na distribuição e na divulgação deles. Perceba como o Orkut, por exemplo, foi uma rede social que perdeu espaço para o Facebook. Estamos trazendo esse ponto para reforçar que o seu conteúdo não deve ser focado em redes sociais pontuais, mas sim no seu blog.

Passos fundamentais para a elaboração de um site para advogados

Neste conteúdo, trazemos com mais detalhes os passos a seguir. Entretanto, aqui você já consegue ter um panorama do passo a passo na criação de sites para advogados.

  1. Defina o objetivo do seu site jurídico: pode ser que você apenas queira criar um site para apresentar a empresa e os advogados ao público. Ou que você queira um site completo, institucional e que produza conteúdo regularmente. Ou prefere ter um site para focar no blog. Estas são as situações mais comuns. Tenha o seu objetivo é muito claro, porque isso determinará as próximas opções;
  2. Escolha um domínio: o domínio é o endereço do seu site, ou seja, a forma como ele será encontrado na internet. Por exemplo, o domínio da Freelaw é freelaw.work. Você pode definir se o final dele será .com.br, .com, .adv. Para garantir o seu domínio, você pode registrá-lo junto com a contratação da hospedagem, ou pode registrá-lo separadamente, no registro.br – custa cerca de R$30 a R$40;  
  3. Escolha uma hospedagem: o serviço de hospedagem é responsável por manter seu site funcionando. Também é usado para salvar imagens, arquivos e conteúdo publicados. Em relação às empresas para isso, existem várias no mercado: HostgatorHostingerKing HostLocaweb entre outras. 
  4. Vincule um construtor de página ao site: hoje em dia, o principal motivo que qualquer advogado poder construir um site é o fato de existirem criadores de páginas, como o WordPress. Usando-os, você pode criar páginas da web sem nenhum conhecimento de programação;
  5. Escolha um design: o tema é basicamente o esqueleto da página. Cabe a ele definir o desenho e a organização da imagem, a fonte das letras e o layout da barra de menu… Toda a estrutura do site!
  6. Baixe os melhores plug-ins: o plug-in é uma ferramenta que ajuda os temas na construção de um site. Para que você fique por dentro dos mais essenciais para o seu site, esse conteúdo tem uma lista dos melhores

Agora, mãos à obra!

Ficamos super felizes que você tenha chegado até o fim deste conteúdo. Pode ter certeza de que o seu interesse em aprender mais e em aplicar o conhecimento no seu trabalho já te destaca de muitos advogados. Separamos, por isso, um e-book exclusivo e gratuito para você sobre “Tecnologia e inovação para advogados na prática”, clique no botão abaixo para receber o seu por e-mail: