Com tanto serviço acumulado no escritório, parece inviável investir tempo em estratégias de redes sociais para advogados, ou mesmo em Marketing Jurídico. Afinal, o que um escritório de advocacia realmente tem a ganhar estando presente no Facebook, Instagram ou Youtube? A resposta, talvez surpreendente, é que você tem muito a ganhar.

Ainda não se convenceu? Continue conosco, mostraremos alguns benefícios na presença em redes sociais. Se você já sabe que é importante, mas não sabe por onde começar, responderemos às seguintes dúvidas:

  • Como escolher as melhores redes sociais para meu escritório?
  • Como montar uma estratégia eficiente?
  • Quais são as principais redes sociais atualmente?

No texto de hoje, vamos responder às dúvidas acima e explicar como trazer inovação para dentro do escritório por meio das redes sociais e ainda manter a qualidade dos serviços jurídicos.

[rock-convert-pdf id=”83232″]

Como e por que advogados devem estar presentes nas redes sociais?

Redes Sociais para Advogados

Você já descobriu uma empresa, marca ou local através das redes sociais? Se sim, sabe o poder que elas têm de promover estabelecimentos, pessoas e ideias sem barreiras geográficas para restringir seu alcance.

A advocacia, um pouco mais conservadora, foi mais resistente à aderir a esse lado do mundo digital, mas a presença virtual dos advogados cresce exponencialmente com o tempo.

Até porque, seu escritório busca mais do que alcançar advogados, certo? Mesmo que você não acredite que um potencial parceiro esteja nas redes sociais, um potencial cliente certamente está. Não adianta resistir a mudanças quando seus clientes concordam com elas. Além disso, se o cliente não vê você, ele vê seu concorrente.

Então, por que você deve criar uma rede social para seu escritório de advocacia?

  1. É gratuito: as redes sociais em si não envolvem custos. Pode ser que você precise ou opte por investir na contratação de um gestor de social media, mas se seu escritório já contar com uma equipe de marketing jurídico, ou alguém que tenha conhecimentos a respeito, os gastos serão reduzidos;
  2. Você pode alcançar potenciais clientes em qualquer lugar: com uma boa estratégia, não há barreiras geográficas que impeçam seu escritório de advocacia de alcançar futuros clientes;
  3. Ajuda a construir e fortalecer a autoridade de seu escritório de advocacia: nem todos nas redes sociais possuem problemas jurídicos imediatos, mas se você alcançar as pessoas, conectar-se com elas e ajudá-las, sua autoridade no meio cresce, e quando precisarem de algo, ficará mais fácil se lembrarem de seu escritório;
  4. Não fere o Código de Ética da OAB: uma estratégia bem executada não vai contra o Código de Ética da OAB, porque ao contrário do que muitos acreditam, não é propaganda.
  5. Seu escritório se posiciona como inovador: é importantíssimo mostrar que seu escritório está por dentro das mudanças e tendências do mercado. Isso passa confiança, e demonstra que você e seus sócios estão dispostos a se reinventar e melhorar sempre.

Mas em qual rede social seu escritório deve estar? A resposta para essa pergunta é uma bem comum na advocacia: depende. Depende do seu potencial cliente. Vamos ajudar elencando as cinco principais redes sociais em 2020.

Principais Redes Sociais para Advogados

Existem inúmeras redes sociais, de forma que falar sobre todas elas tiraria o propósito deste texto. Nos limitamos às cinco redes sociais mais usadas em 2020. São elas:

  1. LinkedIn
  2. Facebook
  3. Instagram
  4. Youtube
  5. Twitter

Você sabe como cada uma pode ser utilizada por escritórios de advocacia? Explicamos e damos algumas dicas.

1. LinkedIn

linkedin - redes sociais para advogados

O LinkedIn é uma rede social essencialmente profissional, o que oferece um excelente diferencial para escritórios de advocacia que buscam um portfólio de clientes com mais empresas e empreendedores.

Seu perfil no LinkedIn terá muitas semelhanças a um currículo — conta com dados sobre sua formação acadêmica, especializações, habilidades, e áreas de atuação. Nessa rede social, o contato ocorre entre profissionais que buscam mostrar o que fazem, como a empresa atua no mercado, e mesmo construir relacionamentos com outros profissionais, e com aqueles em busca de recolocação no mercado. 

Você pode criar uma página para seu escritório de advocacia, publicar conteúdos mais extensos do que aqueles divulgados nas outras redes sociais, se relacionar com advogados de outras áreas, analisar a concorrência e compartilhar conhecimentos de forma a engajar profissionais e usuários interessados.

2. Facebook

facebook - redes sociais para advogados

Você já se assustou com o número de advogados inscritos no Brasil? Atualmente, esse valor supera a marca de 1 milhão. Se esse número causa uma sensação de desconforto ou admiração, trazemos um número ainda mais significativo: 127 milhões.

127 milhões de usuários acessam o Facebook mensalmente. Mesmo desconsiderando perfis falsos, crianças e adolescentes, o número de pessoas que você pode alcançar na rede social ainda será expressivo.

Ainda acha difícil acreditar que seu futuro cliente possa estar lá? 

O Facebook permite que você crie uma página para seu escritório, coloque informações sobre seu trabalho e divulgue conteúdos diversos para obter engajamento com seu público. Você pode divulgar textos maiores, menores, vídeos e links para seu site ou blog pessoal, se tiver.

Além disso, é possível segmentar anúncios pagos para alcançar um público específico — nesse caso, é necessário muito cuidado para não ferir o Código de Ética da OAB, ok?

Algumas dicas do que fazer se você optar por aderir ao Facebook:

  • Construa uma fanpage, ou página do seu escritório de advocacia;
  • Prepare diversos tipos de conteúdo — evite falar só da sua empresa, ajude as pessoas;
  • Teste formatos diferentes de conteúdo para descobrir quais conseguem maior alcance e engajamento;
  • Nunca compre seguidores ou curtidas: além de se tratar de uma métrica de vaidade, você não conseguirá interação e engajamento, o que pode acabar prejudicando sua página;
  • Acompanhe métricas — e fuja das métricas de vaidade

3. Instagram

instagram - redes sociais para advogados

O Instagram começou como uma rede social exclusiva para dispositivos móveis e para compartilhamento de imagens e conteúdos rápidos. No entanto, a rede social cresceu e se tornou a mais engajada em 2020. Agora, é possível publicar vídeos, fotos, stories, compartilhando conteúdo de diversos formatos para alcançar sua audiência. 

Diferentemente do Facebook e Linkedin, o Instagram produz mais resultados para conteúdos audiovisuais, com menos texto — o que não significa que é uma regra: o princípio do sucesso em redes sociais, e no marketing jurídico em geral, é realizar testes para ver o que gera resultados com sua audiência, ok?

A ferramenta não mais é utilizada apenas por jovens, sendo que empresas e escritórios grandes já marcam presença na rede social, compartilhando conteúdos com frequência e engajando com os próprios seguidores. Para você, advogado, o fator decisivo é avaliar se seu potencial cliente está no Instagram.

Se a resposta for positiva, e você decidir montar uma estratégia na rede, confira essas dicas básicas:

  • Assim como no caso do Facebook, não compre seguidores;
  • Publique conteúdos que ajudem sua audiência: não fale muito sobre a importância de contratar o seu serviço, mostre o que você sabe e como você poderia ajudar o potencial cliente com o problema específico, ensine;
  • Teste diferentes formatos e busque engajamento, e não só seguidores;
  • Faça um planejamento antecipado de conteúdo, e integre a rede social em uma estratégia mais ampla de marketing jurídico;
  • Construa sua marca: mostre que seu escritório é composto de pessoas, e que vocês estão ali para ajudar.

4. YouTube

youtube - redes sociais para advogados

Se alguém perguntar qual o maior buscador da internet, a resposta certamente será Google. Mas você sabe qual é o segundo maior buscador atualmente, em 2020?

Se você respondeu Bing, Yahoo, ou até Facebook/Instagram, você errou. O Youtube é o segundo maior buscador do mundo, de forma que uma estratégia no canal definitivamente é algo a ser pensado. 

Significa que você deve obrigatoriamente fazer vídeos? Não, mas o ideal é que analise se o seu potencial cliente está lá, e pese os prós e contras de uma estratégia no Youtube. Nem sempre precisamos aderir a uma rede social só porque os concorrentes aderem, ou porque todo mundo está fazendo: o foco principal deve ser sempre seus objetivos e seu cliente.

Se você optar por aderir ao Youtube, aqui vão algumas dicas:

  • Crie um canal próprio;
  • se for fazer vídeos de temas ou estilos diferentes, ou mesmo para públicos diferentes, separe em playlists: isso facilita a navegação de usuários que descubram seu canal e deixa tudo mais organizado;
  • faça roteiros do que for gravar: isso ajuda a evitar que você passe tempo demais em uma informação simples ou se esqueça de algo importante. 
  • estude um pouquinho sobre otimização de vídeos (SEO para Youtube): assim, seus vídeos tem mais chance de aparecer primeiro para quem buscar pelo tema deles. 
  • a qualidade do áudio é fundamental: apesar do conteúdo ser também visual, os usuários no Youtube costumam demonstrar maior incômodo quando o áudio está ruim em comparação a um cenário ou imagem com imperfeições

5. Twitter

twitter - redes sociais para advogados

O Twitter talvez seja a rede social  mais delicada para advogados utilizarem. Apesar de extremamente poderosa, a linguagem própria do twitter e a forma como a rede social é utilizada pode criar uma resistência maior nos profissionais jurídicos — e está tudo bem.

Você não precisa dominar todas as redes sociais, mas saiba que esta é uma poderosíssima para se comunicar com seu público em tempo real. 

Algumas dicas básicas:

  • No Twitter, a comunicação é simples e rápida;
  • por ser uma rede social rápida, a presença nela deve ser mais frequente para conseguir alcance e engajamento.
  • mantenha uma comunicação conversacional com seu público: interaja e comunique-se diretamente com eles (isso vale para as outras redes sociais também, mas se aplica aqui com mais intensidade);
  • o Twitter é uma excelente rede social para compartilhar notícias rápidas e comentar sobre elas, e nada impede que você chame a audiência para outro canal, compartilhando um link de seu site, blog, ou mesmo de outra rede social. 

Existem muitas outras redes sociais que podem ser perfeitas para seu público e sua estratégia, então não se limite às cinco apresentadas aqui — mas uma ou mais delas muito provavelmente são suficientes para ajudar a alavancar sua carreira, seu escritório, e sua carteira de clientes.

Agora que já sabe quais são as cinco principais redes, é hora de aprender como começar uma estratégia de resultados.

Checklist do começo de uma estratégia de resultados

Redes Sociais para Advogados
  1. Defina sua persona;
  2. descubra em quais redes sociais sua persona está e foque nelas;
  3. comunique-se utilizando a linguagem própria de cada rede social;
  4. faça testes: não existe uma fórmula mágica, então teste formatos de conteúdo e horários para ver quais geram maior engajamento;
  5. planeje o que publicar com antecedência, e evite falar de seu escritório excessivamente: não use as redes sociais para propaganda, use-as para atrair seu cliente até você, mostrando seu valor;
  6. foque em métricas que combinem com seus objetivos, evite métricas de vaidade;
  7. evite o juridiquês: a não ser que seu conteúdo seja voltado para outros advogados ou profissionais jurídicos, fuja do juridiquês. Use uma linguagem compreensível para seus potenciais clientes;
  8. incentive discussões: você não precisa focar só em ensinar e inspirar; às vezes, tirar as pessoas da zona de conforto e promover discussões de forma saudável gera muito engajamento e pode transmitir uma mensagem positiva sobre seu escritório;
  9. humanize sua marca: as pessoas querem se conectar com pessoas. Mostre que há humanos por trás do seu escritório.
  10. leve os usuários para fora das redes sociais: crie sua presença nas redes sociais, mas tenha um “terreno” próprio para levar os usuários, seja para seu whatsapp, telegram, site ou blog.

Redes Sociais e o Código de Ética da OAB

Redes Sociais para Advogados

O Código de Ética da OAB restringe algumas ações publicitárias, e determina que publicidade e propaganda devem ser realizadas com moderação, para fins exclusivamente informativos.

Assim, você não pode usar redes sociais para oferecer serviços, mas pode utilizá-las para educar seus potenciais clientes sobre os direitos deles, por exemplo. Pode, portanto, divulgar informações, notícias e eventos, bem como publicar artigos e divulgar artigos publicados por você. 

O seu perfil ou página nas redes sociais também não pode incitar discursos que comprometam a dignidade da advocacia, expor listas de clientes ou oferecer serviços gratuitos.

Lembre-se que toda manifestação pública reflete em sua imagem profissional e pessoal, então é importante agir com ética, focando em levar a melhor experiência a seu cliente e potencial cliente, mas sem ofender a concorrência ou contrariar o Código de Ética da OAB. 

O que acha do conteúdo? Você concorda com a importância de redes sociais para advogados? Ficou com alguma dúvida? Deixe o seu comentário e compartilhe com outros colegas!

Se quiser receber mais conteúdos e dicas sobre o direito para advogados inovadores, assine nossa Newsletter!