Modelo de agravo interno ao STJ: o que deve conter

Entenda tudo sobre como elaborar uma petição de agravo interno ao STJ de forma assertiva.

Compartilhe

Colorful Modern Digital Marketing Banner Landscape 46.8 × 6 cm 1 Modelo de agravo interno ao STJ: o que deve conter

Um bom modelo de agravo interno ao STJ serve para interpor um recurso de agravo interno contra decisão monocrática proferida

No universo jurídico, o agravo interno em recurso especial e o agravo em recurso especial são instrumentos que merecem atenção especial.

Assim como todas as peças de natureza recursal, o agravo interno ao STJ é um recurso relevante que tem o poder de influenciar o rumo de um caso. É essencial, portanto, que advogados compreendam esse instrumento em busca do sucesso de seus clientes.

Neste artigo, você vai entender sobre os aspectos mais importantes dessa peça, como fazer um modelo de agravo interno ao STJ e quais fundamentos você pode utilizar para elaborar seu agravo com assertividade. Confira até o final!

Leia também “Agravo interno: como fazer o melhor e o que deve constar

Modelo de agravo interno ao STJ: o que é?

O agravo interno é um recurso previsto no art. 1.021 do Código de Processo Civil e é aplicável aos casos de competência de julgamento dos tribunais (2ª instância ou tribunais superiores), endereçado ao seu respectivo órgão colegiado. No âmbito do STJ, está previsto no art. 259 de seu Regimento Interno

Em cada tribunal de interposição é necessária a observância das regras internas do tribunal (STF, TRF, TJ).

Hipótese de cabimento do agravo interno ao STJ

Cabe elaborar um agravo interno ao STJ em decisões monocráticas proferidas pelo relator do processo, objetivando que o mérito do recurso seja analisado pelo órgão colegiado. Um exemplo: decisão monocrática que julga improcedente o recurso especial

Considerando isso, não é cabível, por exemplo, em uma decisão colegiada que analisa o mérito e/ou indefere de seu recurso. Nesses casos, poderão caber embargos de declaração ou embargos de divergência, a depender do vício ou divergência jurisprudencial identificada.

A súmula 568 do STJ consagrou o entendimento de que o relator poderá decidir isoladamente sobre o mérito do recurso quando a questão debatida tiver entendimento pacífico e dominante sobre a questão. Vejamos sua redação:

SÚMULA N. 568

O relator, monocraticamente e no Superior Tribunal de Justiça, poderá dar ou negar provimento ao recurso quando houver entendimento dominante acerca do tema.

Competência e endereçamento do agravo interno ao STJ

A competência do julgamento do agravo interno é do órgão colegiado competente – no caso do STJ, a Turma. Deverá ser endereçado ao relator da decisão (ministro) que fará sua admissão e distribuição.

Na prática, como funciona a aplicação de um modelo de agravo interno ao STJ?

  1. O recurso deverá ser protocolado em até 15 dias após a publicação da decisão monocrática a ser combatida;
  2. Será endereçado ao Ministro Relator, que, após receber o processo, abrirá o prazo de 15 dias para manifestação da parte agravada;
  3. Após o decurso do prazo, o relator poderá retratar sua decisão anterior. Caso isso não aconteça, o feito deverá ser incluído em pauta para julgamento e os autos distribuídos à Turma Competente. As partes deverão ser intimadas;
  4. Com isso, o feito será incluído em pauta para julgamento e analisado por todos os ministros membros da Turma Julgadora. 

É possível apresentar sustentação oral em agravo interno? 

A resposta é: não.

O rol taxativo do art. 937 do CPC não prevê a figura do agravo interno como passível de sustentação oral. Ainda, no âmbito do STJ, o regimento veda a possibilidade no art. 159, inciso IV.

Entretanto, para que sejam reforçadas as razões de seu recurso, é possível elaborar memoriais e encaminhar ao gabinete de cada ministro, agendando um horário com cada um deles para despacho (uma conversa onde você poderá, em poucos minutos, reforçar os pontos mais importantes do seu caso). É uma excelente oportunidade!

Leia também “Memoriais: a última manifestação antes da sentença”

Quais são os efeitos do agravo interno ao STJ?

O agravo interno possui efeito devolutivo, ou seja, visa somente devolver a matéria para análise do colegiado. Lembrando que, caso haja discussão sobre efeito suspensivo no mérito do processo e isso seja reforçado e discutido no recurso, poderá ser concedido na análise do agravo interno. 

Qual é o prazo de interposição?

É de 15 dias o prazo para interposição do agravo interno, conforme disposição do art. 1.003, § 5º do Código de Processo Civil. 

Para a Fazenda Pública esse prazo é contado em dobro, conforme redação do art. 183 do CPC. 

Modelo de agravo interno ao STJ: fundamentação jurídica

Deve-se elencar todos os tópicos da decisão agravada.

Nos pressupostos de admissibilidade do modelo de agravo interno ao STJ, sempre demonstrar:

  • Tempestividade – que o recurso foi interposto no prazo;
  • Legitimidade – que a parte recorrente tem interesse recursal na demanda, conforme art. 966 CPC.

No mérito do modelo de agravo interno ao STJ:

  • Deve-se combater todos os tópicos da decisão agravada que motivam o recurso.
    Um exemplo comum é a decisão que inadmite o recurso especial por falta de impugnação específica de todos os fundamentos da decisão recorrida na origem. Nesse caso, o recorrente deverá demonstrar que foram combatidos todos os pontos controversos do caso. 

Nos pedidos do modelo de agravo interno ao STJ:

  • Requerer a reconsideração da decisão atacada pelo entendimento que se mostra justo e correto (provimento de seu recurso ou desprovimento do recurso da parte contrária, por exemplo). Também, que, caso a decisão não seja reconsiderada, o agravo interno seja distribuído para julgamento do órgão colegiado do STJ (turma). 

Leia também: “Petições online: cumpra prazos jurídicos com eficiência

Conversão automática de embargos de declaração em agravo interno

Em observância ao princípio da fungibilidade, caso sejam apresentados embargos de declaração e o relator do processo entenda que o instrumento processual possui apelo de reforma da decisão enfrentada (fugindo da competência dos EDs que é de sanar eventuais dúvidas ou esclarecer pontos omissos/obscuros/confusos etc.), o relator poderá intimar o recorrente a complementar suas razões em 5 dias para converter o recurso em agravo interno. 

Vejamos a redação do art. 1024, § 3º do CPC:

 Art. 1.024. O juiz julgará os embargos em 5 (cinco) dias.

(…)

 § 3º O órgão julgador conhecerá dos embargos de declaração como agravo interno se entender ser este o recurso cabível, desde que determine previamente a intimação do recorrente para, no prazo de 5 (cinco) dias, complementar as razões recursais, de modo a ajustá-las às exigências do art. 1.021, § 1º .

Cabimento de multa ao interpor o agravo interno

Poderá incidir multa entre 1% e 5% sobre o valor atualizado da causa, quando o agravo interno for considerado desmotivado ou ‘protelatório’. Conforme redação do art. 1.021 do CPC:

Art. 1.021. Contra decisão proferida pelo relator caberá agravo interno para o respectivo órgão colegiado, observadas, quanto ao processamento, as regras do regimento interno do tribunal.

(…)

§ 4º Quando o agravo interno for declarado manifestamente inadmissível ou improcedente em votação unânime, o órgão colegiado, em decisão fundamentada, condenará o agravante a pagar ao agravado multa fixada entre um e cinco por cento do valor atualizado da causa.

Vejamos o entendimento na prática pelo Superior Tribunal de Justiça:

Processual civil. Agravo interno na petição nos embargos de divergência em agravo em recurso especial. enunciado administrativo 3/STJ. Pedido de instauração de incidente de inconstitucionalidade. manifesto descabimento. simples petição. Enunciado de súmula. Verificação “in concreto”. automatização do exercício do direito de recorrer. Improcedência manifesta. Cominação de multa.

(…)

2. Nos casos concretos em que o intuito meramente procrastinatório da parte surge patente, verificando-se um exercício automatizado do direito de recorrer sem a mínima atenção aos ensinamentos comezinhos da processualística civil, e quando verificar-se que a pretensão recursal é completamente infundada, é cabível a cominação da multa aludida no art. 1.021, §§ 4.º e 5.º, do CPC/2015.

3. Agravo interno não conhecido, com a condenação do agravante ao pagamento de multa de cinco por cento sobre o valor atualizado da causa, em razão do reconhecimento do caráter de manifesta improcedência.

(AgInt na PET nos EAREsp n. 589.461/MT, relator Ministro Mauro Campbell Marques, Primeira Seção, julgado em 28/2/2018, DJe de 5/3/2018.)

Desta forma, é importante que o recurso seja bem fundamentado, apresentando uma boa argumentação lógica-jurídica, a fim de evitar a incidência desta multa. 

Dica bônus para conseguir o provimento com um bom modelo de agravo interno ao STJ

Como foi possível enxergar, um agravo interno ao STJ bem elaborado tem o poder de reverter uma decisão que lhe fora desfavorável. Por isso, é extremamente necessário que seu recurso seja bem fundamentado, minucioso, com bastante jurisprudência e argumentos fortes e essenciais, capazes de convencer a Turma a proferir julgamento favorável aos seus interesses.

Sendo assim, pegar um modelo de agravo interno ao STJ pronto na internet pode não ser a melhor alternativa. Ao mesmo tempo, entendemos que você pode estar com sobrecarga de trabalho e sem tempo para elaborar uma petição como essa do zero, ou, ainda, seu escritório pode não ter profissionais especialistas em tal recurso, e é para isso que a Freelaw está aqui para te ajudar.

Com a plataforma da Freelaw, você acessa mais de 7.000 advogados para elaborar suas petições, seguindo suas orientações e o estilo do seu escritório. Trata-se de uma maneira de atender a todos os seus clientes, em todas as áreas do Direito, sem aumentar os custos fixos com contratações.

Para conhecer melhor a nossa proposta e entender como delegar a elaboração das suas petições, cadastre-se gratuitamente na plataforma da Freelaw, clicando aqui. Você terá acesso aos melhores advogados especializados, além de acabar com a sobrecarga na sua rotina jurídica. Acesse a plataforma agora mesmo!

Inscreva-se em nosso Blog

Acesse, em primeira mão, nossos principais posts diretamente em seu email

Artigos em destaque

Elabore o dobro de petições sem contratar mais advogados internos

Delegue todas as petições do seu escritório, avalie diferentes advogados e recontrate os profissionais da sua confiança de forma simples e rápida.

Acesse 9.000 advogados para o seu escritório para elaborar petições

Elimine a dor de cabeça causada pela falta de tempo na advocacia!

Delegue suas petições, avalie diferentes advogados e recontrate aqueles da sua confiança.

Fale com um de nossos consultores:

Fale com um Especialista

Obrigada!

Estamos enviando o material para seu email...

Experimente a assinatura freelaw e saia na frente da concorrência

Cadastre-se na plataforma gratuitamente e comece a delegar seus casos.

Você também pode chamar nosso time de vendas no whatsapp agora e receber uma oferta personalizada para seu negócio.

Converse com um dos Consultores da Freelaw para delegar petições