De forma resumida, o futuro do mercado jurídico brasileiro envolve:
• Inovação;
• Tecnologia;
• Maior dedicação e foco no cliente (e não só no processo);
• Mudança estrutural na forma de encarar a profissão: advocacia 4.0.

Com todos os avanços do empreendedorismo, o mercado jurídico não ficou de fora da inovação. Saber somente sobre leis e ordenamentos já não basta, é necessário aprender as regras do mercado e a maneira correta de transformar seu escritório advocatício em uma empresa. 

A garantia de sucesso ao inserir seu escritório no mercado jurídico é fruto de uma boa gestão e gerência. O principal problema do Brasil, em relação ao mercado, não somente jurídico, é a competitividade exacerbada. Vejamos, o Brasil é o país que mais forma advogados no mundo, possuindo mais de 1 milhão de OABs ativas, portanto, possui a maior densidade de advogados por habitante em TODO o mundo.

Dito isto, como você poderá enfrentar esse obstáculo e possuir um escritório de sucesso no Brasil? Seria inovação a escolha correta para permanecer no mercado jurídico? É isso que você vai descobrir com o artigo abaixo: 

Como é o mercado de trabalho do direito atualmente?

De acordo com o blog Terra, cerca de 30% dos escritórios jurídicos encerram suas atividades em menos de um ano de funcionamento. Isso se dá por diversos motivos, entre eles a falta de planejamento e a má gestão de negócios. Atualmente, entendemos que o escritório jurídico é uma empresa e presta serviços

São fatos, a advocacia de 20 ou até mesmo 10 anos atrás, não é mais a mesma da atualidade, porque os motivos que permeiam essa mudança são os avanços não somente tecnológicos, mas também das novas gerações que adentram no ramo advocatício. Portanto, atualmente, existem algumas “receitas” que fazem seu escritório permanecer no mercado jurídico. 

Atualmente, justamente por esse “boom” de modificações, tanto da inserção de novos advogados no ramo da atividade quanto das ferramentas utilizadas, o mercado de trabalho do direito exige muito mais do advogado. Não basta somente se atentar ao mero direito, mas também ao empreendedorismo, marketing jurídico e ferramentas que auxiliem o dia a dia do ofício.

Números e dados impressionantes sobre o mercado jurídico

O Brasil constitui um dos maiores mercados jurídicos de todo o mundo, isso se dá por questões já apresentadas mais acima, como o alto número de inscritos na OAB. De acordo com dados apresentados pelo blog LG&P, os escritórios médios tiveram um aumento na taxa média trabalhada, sendo procurados em quase 40% das vezes para a resolução de litígios. 

De certa maneira, a escolha por escritórios médios é lógica. Geralmente os escritórios médios são entendidos como mais econômicos e que farão trabalho igual aos de grande porte, mas por serem menores, são menos onerosos. 

Por outro lado, as grandes empresas identificam os escritórios jurídicos de porte médio como grandes utilizadores de tecnologias, o que atribui uma ideia de maior capacidade produtiva.  

Além disso, o número considerável apresentado pela pesquisa nos leva a crer que também são frutos do atendimento personalizado que esses escritórios possuem frente ao mercado jurídico. Pois como está cada vez mais competitivo, é normal que para captar mais clientes o atendimento ocorra de maneira geral, não se atentando às especificidades que cada cliente requer.

É sempre relevante lembrarmos que o mercado jurídico movimenta mais de R$ 50 bilhões ao ano, a área jurídica começa a ganhar destaque maior a partir das tecnologias que otimizam o trabalho, como as lawtechs e legaltechs

A inovação é uma tendência no mercado jurídico?

Mesmo sendo um mercado bastante tradicionalista, percebemos que a inovação vem tomando conta do espaço do mercado jurídico. Logo, sim! A inovação é a tendência. Existem ferramentas tecnológicas que vem ganhando espaço entre os advogados, um exemplo disto é o legal design

Empreender já faz parte da realidade daqueles que desejam perdurar no mercado jurídico. Além disso, quando é atrelado a ferramentas auxiliares trazem uma gama de possibilidades, como: melhor captação de cliente, controle financeiro e diferenciação frente ao mercado tradicional saturado. 

Quais áreas da advocacia dão mais dinheiro?

Se você possui um escritório ou é advogado em ramos mais tradicionalistas, aqui vai as áreas mais bem remuneradas, segundo a Faculdade Unyleya

  • trabalhista; 
  • tributária; 
  • empresarial.

Porém, todas elas darão melhor retorno se atreladas ao empreendedorismo e a tecnologia. 

Se por acaso você deseja ou advogar em ramos menos tradicionais, segue uma lista, elaborada pelo portal Migalhas das melhores carreiras para se trabalhar: 

  • direito da saúde; 
  • direito digital;
  • direito dos dados e LGPD.

Mas, independentemente do ramo que se segue, é importante lembrar que: a utilização da tecnologia + empreendedorismo + direito resulta em SUCESSO! Pois permite que o escritório jurídico aumente a eficiência do seu trabalho, aumente sua captação de clientes, além da fidelização deles. 

É verdade que são diversas as tecnologias existentes. Porém, o papel do empreendedor jurídico que pretende se manter no mercado é compreender que existem possibilidades e determinar quais são cabíveis e quais não são cabíveis de aplicação. 

Qual a área mais promissora da advocacia?

Nós da Freelaw entendemos que todas as áreas e carreiras podem ser promissoras, tudo depende da aplicação e gerência. Mas existem ramos que vêm crescendo com o passar dos tempos. O direito digital e o direito feminino, são exemplos disso, pois há 50 anos atrás nenhum dos dois eram reais, tão pouco aplicáveis. 

Desse modo, é necessário se atentar a carreiras fora da curva, aplicar aquilo que os outros advogados e escritórios não estão muito atentos. A inovação tem sido uma chave mestra para todos os mercados. No que tange ao mercado jurídico, sabemos da importância da aplicação e gerência correta das ferramentas.

Sendo assim, a área mais promissora da advocacia é aquela que é bem aplicada, pois se lembre, estamos falando de prestação de serviço, e prestação de serviço com qualidade tende a ser procurada mais vezes e indicada para mais pessoas. 

Quais as áreas que mais estão mudando no direito?

TODAS! Pois é, tudo muda de acordo com as novas tendências. 

Com o impacto causado pela pandemia, iniciou-se um novo processo de planejamento estratégico, o do marketing jurídico. O direito trabalhista sofreu grandes impactos, houveram novas legislações, adiantamentos de pautas e retardamento de outras, tudo isso porque com a pandemia vários trabalhadores ficaram em casa, vários salários diminuíram e novos problemas surgiram. 

O direito empresarial também não ficou de fora. As ações de fusões e de aquisições tiveram uma alta relevante, além das ações de falência e recuperação de créditos. Desse modo, mudaram para o advogado, porque nesse ponto, ele deve passar a se adequar ao mercado e setor em que seu cliente atua, devendo contratar demanda especializada para tal feito. 

Para tal diligência a Freelaw te ajuda! Contrate advogados especializados sob demanda ou crie parcerias jurídicas online para cuidar das ações específicas. 

Quais as tendências atuais do mercado jurídico?

Com a pandemia, o home office se tornou realidade. É possível que esse modelo siga acompanhando o mercado jurídico por um tempo em consonância com a utilização de escritórios digitais, pois além de controlarem as demandas, funcionam como uma agenda que deve seguir fazendo parte da rotina advocatícia. 

O marketing jurídico online também é uma tendência para o mercado. Mesmo com a concorrência nesse ramo é uma área que só tende a crescer, pois humaniza o trabalho do escritório, além de aproximar o cliente do prestador de serviço. Trata-se de uma inovação bastante promissora, que tende a permanecer por um tempo no mercado jurídico, pois fideliza o cliente. 

5 tendências para o mercado jurídico nos próximos anos

Mesmo sendo uma área conservadora, o mercado do direito se abre a novas tendências. Sendo assim, não cabe somente o direcionamento as atualizações das leis e ordenamentos, mas também as novas mudanças que o mercado requer, que são: 

1. O cliente no centro da experiência

Todo o ambiente que você deseja criar deve ser direcionado ao seu cliente e a experiência que ele terá. É necessário que ele enxergue seu escritório e seu serviço como algo essencial para a resolução da demanda. Criar um vínculo com seu cliente é muito importante, isso o fideliza e o faz te recomendar para outros possíveis clientes. 

Não se esqueça, você é um prestador de serviços e ele precisa ser de alta qualidade! Preocupe-se com seu cliente e faça um bom trabalho. 

2. Advocacia à distância

Com a pandemia do covid-19, as empresas precisam se adaptar à nova realidade. Os escritórios jurídicos seguiram no mesmo passo, o que não significa dizer que irão continuar 100% remotos, mas que a advocacia a distância é uma possibilidade e pode ser uma grande aliada. 

A digitalização dos contratos e a assinatura digital agilizam o cerceamento das demandas, além de ser uma ferramenta bastante simples e eficaz. 

3. O uso da tecnologia para criar soluções no mercado jurídico

Engana-se quem acredita que o mercado jurídico só pode ser direcionado a juizados, varas, litígios e sentenças. Neste vídeo que preparamos para você, Fernando Xavier fala um pouco sobre o uso da tecnologia como criadora de soluções para o mercado jurídico, confira já: 

Se for de sua preferência, temos também o podcast, para que você decida qual a melhor maneira de aprender sobre o tema:

4. Inteligência artificial e direito

A inteligência artificial atrelada ao direito se converte na aplicação tecnológica ao âmbito jurídico. Ou seja, é quando a máquina, programa, sistema ou aplicativo simula o raciocínio de um advogado, assimilando quais as melhores decisões a serem tomadas, quais caminhos percorrer e a chance de êxito. 

Mas calma, não significa que o advogado ou o escritório serão substituídos. Afinal, o direito é uma ciência humana e tem a necessidade da humanidade para funcionar. 

5. Cibersegurança 

Com toda digitalização e tecnologia do mercado jurídico existe a necessidade da criação de um ambiente digital seguro. Por isso, a cibersegurança vem se mostrando tão importante. 

A segurança da informação, principalmente no ambiente digital, é imprescindível. A proteção dos dados dos negócios dos clientes, das procurações e dos contratos também fazem parte da obrigação dos escritórios e advogados, é preciso investir nesse segmento pois ele, com certeza, irá te ajudar. 

Conclusão: como ser um bom advogado nesse novo mercado jurídico?

Agora você já sabe, não adianta dominar somente as leis e os ordenamentos, é preciso empreender com sua advocacia. E, para ser um bom advogado e conquistar espaço e clientes, basta se adequar a esse novo mercado e continuar seguindo as dicas que postamos semanalmente. 

Podemos afirmar que advogar em meio a um mercado tão competitivo não é uma tarefa fácil, mas não é impossível. Existem diversas situações que esperam de você uma atitude mais tradicional e você não deve ter medo ou receio quanto a isso, nem sempre o tradicional é ultrapassado. 

Adote e coloque em prática o empreendedorismo jurídico, esteja aberto a um futuro de possibilidades! 

Conte para nós, você gostou do conteúdo de hoje? Deixei comentário! Não se esqueça de compartilhar com seus amigos, nós da Freelaw acreditamos no conhecimento compartilhado, faça parte desse movimento. 

Não deixe de ler o nosso e-book, preparado especialmente para você, sobre “Tecnologia e inovação para advogados na prática”, acesse-o já, clicando aqui.

Olha, se você chegou até aqui é bem provável que também vai gostar desses episódios de podcast que separamos: