Seu escritório já pensou em atuar no direito odontológico?
Já pensou em advogar para dentistas? Direito odontológico. Já pensou em advogar para dentistas? Direito odontológico.

O seu escritório de advocacia já pensou em atuar para dentistas?

8 minutos para ler

Nesse conteúdo, vamos te apresentar uma análise de um mercado bem específico, mas que pode trazer muitas oportunidades para o seu escritório de advocacia.

Fique até o final e você saberá quais oportunidades e desafios traz a advocacia para dentistas.

Direito odontológico

Como toda área ligada à saúde, o exercício da odontologia e medicina envolve muita responsabilidade e procedimentos jurídicos. No entanto, a grande maioria dos profissionais saem da faculdade com ótimas graduações, mas sem conhecimentos específicos sobre questões ético-legais que envolvem a profissão.

Desta forma, o dia a dia no consultório envolve, também, a confecção de contratos de prestação de serviços, com fornecedores, pacientes e operadoras, questões tributárias e trabalhistas, elaboração de termos de consentimento e de prontuário seguindo determinação legal, a publicidade do consultório seguindo as normas éticas e legais, entre outras questões legais.

Segundo recentes publicações estatísticas, o número de denúncias e processos judiciais contra médicos, dentistas e demais profissionais da saúde aumentou de 30% a 200%.

De 100 médicos, 7 respondem a processos judiciais e, segundo dados publicados pelo Superior Tribunal de Justiça, nos últimos dez anos, o Brasil teve um aumento de 1600% envolvendo médicos.

Além disso, mais de 50% dos processos contra dentistas ocorrem por motivos de expectativas estéticas não atendidas. Há, também, um aumento significativo de processos relacionados à imperícias.

A falta de conhecimento jurídico ou de uma assessoria jurídica adequada é um dos motivos pelos quais houve um aumento tão expressivo em ações judiciais. Vale ressaltar que o valor médio das indenizações pagas por profissionais condenados é de até R$27.000,00.

Em se tratando de saúde a alegação de erro ou prejuízo por parte do paciente não é o suficiente para uma condenação. De acordo com o Código Civil e o Código de Defesa do Consumidor, a responsabilidade do profissional precisa ser demonstrada como culposa, de forma que ele não tenha utilizado corretamente os métodos disponíveis, faltou com o dever de informar, entre outros.

Diante desse cenário fica claro não só a importância da assistência jurídica no meio odontológico, mas também o cenário abrangente disponível para a advocacia na odontologia e medicina.

Ações judiciais são muito comuns nessas áreas e precisam, necessariamente, do respaldo de um advogado. Além disso, o dia a dia do consultório envolve muitos processo jurídicos, nos quais os profissionais não têm as habilidade necessárias para resolver ou simplesmente não tem tempo para isso.

Quais são os problemas jurídicos mais comuns na odontologia?

Como demonstrado anteriormente, vêm crescendo o número de pacientes que acionam a justiça após procedimentos odontológicos e médicos.

O que acontece é que a relação entre o profissional e paciente é especialmente delicada. Isso porque, muitos pacientes buscam solucionar seus problemas de forma imediata (como é o caso de cáries,  implantes dentários, extração, etc.).

Outro problema é que essas pessoas chegam ao consultório com ideias pré-definidas do que esperam de procedimentos estéticos, como a aplicação de lente de contato dental e cirurgias plásticas, sem levar em consideração que cada pessoa é diferente e, portanto, não é possível reproduzir o sorriso de uma personalidade de TV, por exemplo.

Algumas das alegações que mais motivam ações judicial contra dentistas incluem:

Não fornecimentos de informações aos pacientes

Esse tipo de situação normalmente acontece quando há algum dano pós-procedimento. O paciente pode alegar que o profissional não descreveu corretamente todas as opções de tratamento possíveis e os riscos envolvidos.

Sendo assim, não foi oferecido ao paciente todas as condições necessárias para tomar uma decisão adequada.

Erro em procedimentos ou tratamentos

Esse caso inclui reivindicações de danos ou lesões dentárias após restaurações danificadas, implantes, facetas e, até, não contentamento com a estética do aparelho dental transparente, por exemplo.

Essas reivindicações podem estar, de fato, ligadas à erros cometidos pelo profissionais ou, simplesmente, à efeitos colaterais dos procedimentos e erros cometidos  pelo próprio paciente após os tratamentos.

Conselho profissional questionável

Entre as alegações, os pacientes podem afirmar que o dentista não forneceu um conselho profissional sólido ou não o encaminhou a um especialista quando necessário.

Produtos utilizados

Mesmo que o dentista não tenha fabricado os materiais utilizados ele pode ser responsabilizado pelo uso de itens defeituosos.

Erros de diagnóstico

Os pacientes podem alegar que o profissional diagnosticou um problema incorretamente ou que o diagnóstico não foi feito a tempo de evitar o desenvolvimento da patologia.

E aí? Gostou da área e quer se posicionar como uma autoridade para dentistas? O que fazer?

Como construir uma estratégia de advocacia voltada para dentistas

Agora que você já sabe mais detalhes sobre a área e os problemas jurídicos enfrentados por um dentista chegou a hora de montar uma estratégia para mostrar aos seus futuros clientes que você ou o seus escritório são a solução para os problemas deles.

A seguir, separamos algumas dicas para facilitar esse trabalho.

Converse com os profissionais da área

Para nos darmos bem em qualquer área profissional é preciso muito estudo e conhecimento sobre a área que nos dispomos a atuar. No direito odontológico isso não é diferente.

Por isso, antes de entrar de cabeça na área dedique um tempo para conversar com dentistas, conheça o perfil desses profissionais e os problemas jurídicos mais comuns no meio.

Após essa pesquisa de campo elabore uma persona para o seu escritório.

A persona nada mais é do que uma representação fictícia do que seria o seu cliente ideal. Ela deve conter informações detalhadas como nome, idade, hobbies, área de atuação, salário, entre outros.

Com a pesquisa ampla que você fez anteriormente fazer uma persona com todas essas informações não deve ser complicado.

Além disso, a persona é essencial para você saber exatamente como se dirigir ao seu público-alvo e onde encontrá-lo.

Produza conteúdos para esse público

Persona criada, chegou a hora de criar conteúdos para ela por meio do marketing de conteúdo.

O marketing de conteúdo é, atualmente, uma das principais formas de se destacar profissionalmente e atrair o seu público. Para isso, é interessante produzir conteúdos ricos em informação e que resolvam eventuais problemas.

Para criar boas pautas fique atento nas principais dúvidas dos dentistas quando se trata da área jurídica, erros cometidos por eles e simplifique assuntos específicos da sua área para eles.

Essa é uma forma de demonstrar credibilidade e expertise na área. É possível produzir conteúdos em diferentes formatos e linguagens. Dentre os formatos disponíveis estão:

  • Blogs
  • Landing Page
  • E-book
  • Webinar
  • Podcast
  • Cases de clientes
  • Redes sociais
  • Infográfico
  • E-mail marketing
  • Newsletter

É importante ressaltar que conteúdos bem feitos não são o suficiente para que as pessoas cheguem até você. É preciso que você faça com que eles sejam entregues às pessoas certas e que você esteja disponível para conversar com o seu público.

Por isso, desenvolva materiais especialmente para as redes sociais e construa um site com uma boa navegabilidade. Mantenha esse dois canais regularmente atualizados e não se esqueça de colocar as informações de contato para que as pessoas falem diretamente como você e sua equipe.

Um erro comum dos escritórios

Muitas vezes nós achamos que quanto mais abrangente for nossos conhecimentos e áreas de atuação, mais credibilidade e competência aparentamos ter. Não faça isso com o seu escritório.

Ao posicionar-se em vários nichos ao mesmo tempo você dará a impressão que não é especialista em nada. Em contrapartida, se o seu escritório atuar apenas com direito odontológico, os dentistas sentirão mais confiança em seu trabalho e ficará mais fácil construir a sua reputação online.

Afinal, vale a pena dedicar-se ao direito odontológico?

A resposta é sim! Como esse conteúdo você pôde ver que essa é uma área com muitas oportunidades e tarefas a serem feitas.

A área da saúde é um campo muito delicado e que exige extremo cuidado jurídico, afinal, trata-se de ofícios envolvendo a saúde da população.

São inúmeros os casos de problemas e prejuízos por falta de informação jurídica e conhecimento de algumas regras elementares para o exercício da medicina e odontologia.

Por isso, se dentistas são fundamentais para a saúde pública, a advocacia é fundamental para a manutenção dos profissionais.


Texto produzido por Estela Lima, redatora da empresa Vue Odonto.

Posts relacionados

Deixe um comentário