Por muito tempo, os departamentos jurídicos foram vistos como centros de custo. Mas, com a advocacia 4.0, cada vez mais, o departamento jurídico busca se posicionar como um centro de negócios, um centro que gera lucro.

Sendo assim, é normal que algumas pessoas tenham dúvidas em relação a essa seção. São cada vez mais frequentes perguntas como: o que faz um departamento jurídico 4.0?  Quando vale a pena estruturar um departamento jurídico? Como manter uma gestão profissional? Quais demandas devem ser internalizadas e quais devem ser terceirizadas? Quais são as tendências de inovação e tecnologia para departamentos jurídicos? Este é o tema central do conteúdo de hoje. Fique até o final e aproveite!

O que faz os departamentos jurídicos 4.0?

O departamento jurídico de uma empresa é aquele responsável por cuidar das questões legais inerentes ao negócio. Desde as demandas contratuais até os processos judiciais ou extrajudiciais que envolvem a empresa.

Mas um departamento jurídico 4.0 vai muito além disso. Ele é responsável por gerenciar de forma assertiva aquela área de grande importância para o negócio.

O departamento jurídico 4.0 é inovador e pensa fora da caixa, assim como o advogado 4.0. Aqueles envolvidos no departamento são gerenciadores dos procedimentos legais, acima de tudo.

Por exemplo, em diversas empresas vemos departamentos jurídicos responsáveis pela terceirização de serviços jurídicos de grande volume, como é o caso de processos judiciais das áreas de direito do consumidor.

Quando vale a pena estruturar um departamento jurídico?

As questões jurídicas das empresas são vistas, por muitas vezes, como uma área isolada de todo o restante, fazendo com que os advogados sejam contatados somente em último caso. Mas, esse não é o movimento ideal para que uma empresa alcance o sucesso.

O advogado corporativo é aquele que compreende o modelo de negócio da empresa, exercendo um papel de liderança em sua equipe. Por isso, a estruturação de um departamento jurídico é essencial, de modo que seja integrada ao corpo do negócio.

Como manter uma gestão profissional?

Para manter uma gestão profissional é importante que os profissionais foquem em três pilares do crescimento de qualquer negócio:

  1. Equipe;
  2. Cultura;
  3. Processos.

Com essa base bem estruturada qualquer escritório de advocacia ou departamento jurídico é capaz de desenvolver um eficiente processo de gestão a longo prazo.

Para compreender mais sobre a gestão eficiente leia o nosso artigo completo sobre o tema: “Gestão de escritórios de advocacia: tudo o que você precisa saber”.

Como é a gestão de um departamento jurídico?

As atribuições de um departamento jurídico são muito grandes, vamos listar algumas delas para você:

  • Emitir pareceres sobre questões legais atinentes à empresa;
  • Acompanhar processos judiciais do interesse da empresa;
  • Acompanhar processos administrativos que envolvam a empresa;
  • Elaborar contratos;
  • Realizar o compliance da empresa;
  • Analisar os riscos em novos negócios.

Por conta da grande demanda de trabalho, o departamento jurídico deve ter uma gestão profissional, como dissemos anteriormente. A utilização de softwares jurídicos específicos para departamentos jurídicos é uma excelente alternativa para facilitar esse processo, além do auxílio de lawtechs e de legaltechs.

Quais demandas os departamentos jurídicos devem internalizar e quais devem terceirizar?

A terceirização de demandas é uma alternativa que pode tornar o processo de gestão mais eficiente. Mas, isso não significa que todos os procedimentos devem ser terceirizados, nem tão pouco internalizados. 

Então, essa é uma decisão que caberá ao advogado gestor do setor jurídico! 

O movimento de internalização de demandas nos departamentos jurídicos

Por muito tempo, os departamentos jurídicos se viam reféns de duas opções: terceirizar as demandas ou internalizá-las e cumprir todas internamente. 

Mas essas não são as únicas possibilidades existentes hoje. As demandas internas podem ser cumpridas por advogados contratados sob demanda e esse é um movimento crescente dentro das empresas.

Grandes empresas como a Amazon e o Mercado Livre já têm mudado o pensamento sobre a internalização do departamento jurídico, justamente com o intuito de proporcionar aos seus clientes a experiência planejada pela empresa.

Com os advogados conhecendo bem a cultura da empresa, em contato diário com os demais colaboradores, essa experiência pode ser entregue com uma facilidade maior. E, ainda, com a possibilidade de contratação sob demanda o movimento de internalização tende a crescer ainda mais.

A contratação de advogados sob demanda e uma nova forma de delegar tarefas

A contratação de advogados sob demanda já é uma tendência em muitos departamentos jurídicos e também em diversos escritórios de advocacia, como dissemos no tópico anterior.

A contratação sob demanda pode ser utilizada para as mais diversas atividades empreendidas em um departamento jurídico. Desde a criação de um contrato inteligente até mesmo uma petição online.

O que os departamentos jurídicos esperam dos advogados e escritórios de advocacia?

A eficiência dos advogados e escritórios de advocacia é possivelmente o requisito mais esperado por um departamento jurídico. 

Os departamentos jurídicos buscam um advogado diferente, não somente aquele que cumpra os prazos e realize as demandas passadas. Mas, que ele entenda de números, de dados e envie bons relatórios, entenda do objeto de negócio da empresa e, sobretudo, que pense na experiência do cliente.

Também, nesse sentido, temos o episódio “O que as empresas de tecnologia esperam dos escritórios de advocacia?”, do podcast Lawyer to Lawyer, no qual o Giovani Ravagnani discute o que as empresas esperam dos escritórios de advocacia. Ouça:

Tendências de inovação e tecnologia para departamentos jurídicos

O direito vem se abrindo para a utilização da tecnologia nos últimos anos, mas especificamente no ano de 2020, em decorrência da pandemia, essa é uma tendência ainda mais forte no mercado jurídico.

A presença de lawtechs e de legaltechs com força expressiva no mercado é capaz de mudar a forma como se opera o direito. Assim, tornando-o ainda mais apaixonante, com a entrega de resultados ainda melhores aos clientes.

Para ficar por dentro de todas as tendências do mercado, leia nosso artigo “Qual o futuro do mercado jurídico brasileiro?”.

Legal operations para departamentos jurídicos

O time de legal operations em um departamento jurídico é um grande aliado da gestão estratégica do setor. Se você ainda não viu nada sobre esse tema, vamos te explicar.

O legal operations se preocupa com tudo aquilo que não é especificamente jurídico, dentro do setor. Por exemplo, a gestão de pessoas; tomada de decisão; gestão de recursos; alinhamento para o contencioso de volume.

Nós entrevistamos o Paulo Silva, que é gerente de legal operations do Mercado Livre, confira:

Gestão e delegação de equipes jurídicas remotas em empresas

Nem sempre a internalização de serviços dentro do departamento jurídico é o ideal. Por isso, a delegação de equipes jurídicas de forma remota têm sido utilizada tanto por escritórios de advocacia quanto por departamentos jurídicos. 

A advocacia online é uma oportunidade de crescimento para todos os envolvidos, tanto aquele que está contratando o advogado de forma remota, como do próprio advogado contratado e também para o cliente final. Nessas situações todos saem ganhando!

Para ficar por dentro de tudo sobre a atuação na advocacia online leia o artigo “Advogado online: o que você deve saber sobre o trabalho jurídico remoto”, que possui tudo que você precisa saber sobre o tema.

Gestão ágil para departamentos jurídicos

Para que o serviço seja entregue com eficiência é imprescindível que exista uma boa gestão, seja gestão de tempo do advogado ou até mesmo gestão de um escritório de advocacia como um todo.

A gestão ágil é uma ferramenta utilizada por grandes profissionais e corporações, 

Se você possui interesse sobre essa temática, veja aqui nosso conteúdo completo sobre gestão ágil para advogados.

Legal Analytics e utilização de dados na tomada de decisões

Legal analytics é, em síntese, o uso de tecnologias de dados como o big data para a análise jurídica. E, consequentemente, utilizado para a tomada de decisões mais assertivas.

Os dados são capazes de trazer maior confiabilidade e segurança à decisão que deverá ser tomada.

A utilização de legal analytics é, inclusive, uma questão muito citada pelo Matheus Nasser, o gerente jurídico da Olé Consignados, em nosso podcast sobre departamentos jurídicos, a seguir.

Geração de valor e sucesso do cliente

A busca por geração de valor e, consequentemente, pelo sucesso do cliente é o pilar para o exercício da advocacia, seja em que posição o advogado esteja, desde chefe do departamento jurídico a contratado sob demanda ou ainda parte da equipe de escritório contratada pelo departamento jurídico.

Essa entrega de valor só poderá ser eficaz e plena no momento em que o serviço seja entregue com excelência. 

E, por falar em excelência, já que você ficou até o final deste artigo, temos um mapa de conteúdos gratuito e completo para você cumprir seus prazos com eficiência. Receba-o em seu e-mail!