Contestação trabalhista: como responder uma reclamatória?

Compartilhe

Colorful Modern Digital Marketing Banner Landscape 46.8 × 6 cm 1 Contestação trabalhista: como responder uma reclamatória?

Contestação trabalhista é o ato pelo qual o réu ou reclamado impugna todas as alegações feitas pelo autor/reclamante em sua petição inicial.

Quando falamos em contestação trabalhista, estamos nos referindo à peça processual que é apresentada pelo reclamado para alegar a sua defesa, em face dos fatos e direitos narrados na inicial da reclamação trabalhista.

Mas para que se apresente uma contestação trabalhista de qualidade, também é necessário entender o que é, e como proceder para obter êxito na ação, sempre pensando no melhor para o nosso cliente.

Sendo assim, elaboramos esse artigo para mostrar, para você leitor advogado (a), que podemos fazer uma contestação trabalhista de forma rápida, fácil e com a qualidade que seu cliente precisa.

Leia também “Prescrição trabalhista: um guia definitivo”.

O que é contestação trabalhista?

A contestação trabalhista, como o próprio nome já diz, é a forma do empregador/reclamado apresentar a sua defesa às alegações feitas pelo empregado/reclamante em sua petição inicial.

Qual o prazo da contestação trabalhista?

O artigo 847 da CLT, afirma que a contestação trabalhista será apresentada de forma oral em audiência, no prazo de 20 minutos.

Muito embora o artigo 847 da CLT, afirma que a defesa será oral, e feita em audiência, na prática processual,já era apresentada contestação trabalhista de forma escrita até a data da audiência.

Resolução nº 241/2019

A respeito desse tema, a Resolução CSJT nº 241, de 31 de maio de 2019. do Conselho Superior da Justiça do Trabalho, em seu artigo 22, regulamentou que a contestação trabalhista bem como seus respectivos documentos deverão ser protocolados até a data da audiência de conciliação, sendo recomendada a apresentação com 48h de antecedência da data da audiência.

Art. 22. A contestação ou a reconvenção e seus respectivos documentos deverão ser protocolados no PJe até a realização da proposta de conciliação infrutífera, com a utilização de equipamento próprio, sendo automaticamente juntados, facultada a apresentação de defesa oral, na forma do art. 847, da CLT. 

§ 1º No expediente de notificação inicial ou de citação constará recomendação para que a contestação ou a reconvenção e os documentos que as acompanham sejam protocolados no PJe com pelo menos 48h de antecedência da audiência.

Leia também “Estabilidade da gestante: o que o advogado deve saber?” 

Como elaborar uma contestação trabalhista?

Para que possamos elaborar a melhor contestação trabalhista temos que primeiro analisar com afinco a reclamação trabalhista e, então proceder com um passo a passo metódico.

Preliminares da contestação trabalhista

Antes de adentrarmos ao mérito da demanda, precisamos verificar a existência de preliminares do mérito.

As preliminares processuais são objeções que podem ser arguidas na contestação, antes mesmo da parte falar sobre o mérito da questão. O juiz analisará o que foi alegado e se decidir pelo acolhimento, o processo ou pedido pode ser julgado extinto.

As principais preliminares estão previstas no artigo 337 do CPC, utilizado subsidiariamente ao processo do trabalho.

As hipóteses de preliminares de contestação trabalhista mais comuns utilizadas são:

  • II – incompetência absoluta e relativa;

Quando a ação é ajuizada na justiça trabalhista, mas sua competência é a justiça comum ou federal e ou quando a ação é ajuizada em um TRT que não é competente sobre aquela região do país.

Nos casos previstos no § 1º do artigo 330 do CPC, a petição inicial é inepta por falta de pedido ou causa de pedir, pedido indeterminado, se da narração dos fatos não decorrer a conclusão lógica do caso e se a inicial contiver pedidos incompatíveis entre si.

  • VI – litispendência;

Ocorre litispendência, quando a ação ajuizada é idêntica a uma já existente, com os mesmos pedidos, partes e causa de pedir, de modo que a ação ajuizada antes tem prioridade.

  • VII – coisa julgada;

Alega-se preliminar de coisa julgada quando a inicial estiver discutindo matéria já transitada em julgado, ou seja, já decidida e não passível de recurso.

Prejudiciais de mérito da contestação trabalhista

São as hipóteses que, se acatadas, extinguem o processo com julgamento do mérito.

  • Prescrição

O prazo prescricional atual para o empregado urbano e rural exigirem seus créditos e direitos trabalhistas derivados das relações de trabalho é de 5 (cinco) anos, até o limite de 2 (dois) anos após a extinção do contrato. É a chamada prescrição quinquenal.

  • Decadência

A decadência, também conhecida como “caducidade”, pode ser conceituada como a perda de um direito potestativo pelo decurso de prazo fixado em lei ou em contrato. Direito potestativo é aquele que é exercido unilateralmente pelo sujeito, independentemente da vontade do outro.

  • Compensação

A compensação pode ser compreendida como uma forma de extinção das obrigações. Conforme o art. 369 do Código Civil, para que haja a compensação faz-se necessário: reciprocidade de dívidas, dívidas líquidas e certas, dívidas vencidas e dívidas homogêneas

Leia também o artigo sobre reclamação trabalhista por acúmulo de função.

O que posso alegar no mérito da contestação trabalhista?

Agora que já vimos as preliminares e prejudiciais de mérito, veremos como impugnar de fato as alegações trazidas pelo reclamante em sua inicial.

Conforme artigo 341 do CPC, em sua peça de defesa o réu tem de impugnar precisamente todas as alegações trazidas pelo autor, sob pena de serem tidas como verdadeiras as não impugnadas.

Desta forma, para que não se perca nenhuma alegação no mérito, é necessária a impugnação pormenorizada de cada fato alegado pelo reclamante

E se eu não apresentar a melhor contestação trabalhista dentro do prazo previsto?

Já vimos que o prazo para apresentação de contestação trabalhista é até a data da audiência de conciliação, sendo recomendado o protocolo via PJe em 48h antes da audiência.

Ademais, para que o juiz possa formular a decisão dele, é necessária a impugnação específica dos pontos controvertidos, e o momento desta impugnação se dá quando da apresentação da contestação trabalhista.

Agora se você, advogado está sem tempo para realizar uma contestação trabalhista, você pode contar com um dos advogados especialistas através dos serviços prestados pela Freelaw.

Não perca prazos e nem clientes, cadastre-se agora na plataforma e conte com os serviços dos melhores especialistas para te ajudar a diminuir as suas demandas, com qualidade, competência e pontualidade. Isso pode ser feito por meio de uma assinatura digital de serviços jurídicos, que você entenderá melhor no vídeo a seguir.

Resumindo: trata-se de uma maneira de aumentar a produção do seu escritório, sem deixar de lado demandas importantes e sem aumentar custos fixos com contratação. É um modo de revolucionar o trabalho na advocacia.

Cadastre-se agora na plataforma da Freelaw, gratuitamente, clicando aqui. Dessa forma, tenha acesso a um time dos advogados mais qualificados para suprir as suas demandas.

Inscreva-se em nosso Blog

Acesse, em primeira mão, nossos principais posts diretamente em seu email

Artigos em destaque

Elabore o dobro de petições sem contratar mais advogados internos

Delegue todas as petições do seu escritório, avalie diferentes advogados e recontrate os profissionais da sua confiança de forma simples e rápida.

Acesse 9.000 advogados para o seu escritório para elaborar petições

Elimine a dor de cabeça causada pela falta de tempo na advocacia!

Delegue suas petições, avalie diferentes advogados e recontrate aqueles da sua confiança.

Fale com um de nossos consultores:

Fale com um Especialista

Obrigada!

Estamos enviando o material para seu email...

Experimente a assinatura freelaw e saia na frente da concorrência

Cadastre-se na plataforma gratuitamente e comece a delegar seus casos.

Você também pode chamar nosso time de vendas no whatsapp agora e receber uma oferta personalizada para seu negócio.

Converse com um dos Consultores da Freelaw para delegar petições