Como prestar serviços jurídicos para qualquer região do país
Episódio 53 do #lawyertolawyer, o Podcast da Freelaw: Como prestar serviços jurídicos para qualquer região do Brasil, com Victor Nascimento Episódio 53 do #lawyertolawyer, o Podcast da Freelaw: Como prestar serviços jurídicos para qualquer região do Brasil, com Victor Nascimento

#54: Como prestar serviços jurídicos para qualquer região do Brasil – c/ Victor Nascimento

36 minutos para ler

Como as audiências telepresenciais e o home office impactam a prestação de serviços jurídicos?

Quais as oportunidades e ameaças?

Como reduzir os custos fixos do seu escritório de advocacia?

Como prestar serviços jurídicos em qualquer região do Brasil?

No episódio 54 do #lawyertolawyer, Gabriel Magalhães entrevista Victor Nascimento.

Você poder ler a transcrição do episódio, escutar no seu player de áudio favorito ou assistir a entrevista pelo Youtube.

Victor Nascimento

  • Advogado, formado em 2012, especialista em direito tributário pelo IBET, sempre atuou na área tributária até o ano de 2017, quando passou por um processo seletivo nacional para integrar um projeto de advogados trabalhistas pela JBS e mudou a carreira.
  • Também em 2017, se formou em contabilidade.
  • Atualmente é coordenador da área tributária e trabalhista do escritório Viviane Ferreira Sociedade de Advogados
  • Fundador da VN Grupo empresa de cálculos judiciais, focada em cálculos trabalhistas

Gabriel Magalhães

É um dos fundadores da Freelaw e o Host do Lawyer to Lawyer. É bacharel em Direito pela Faculdade Milton Campos.  

Possui formação em Coaching Executivo Organizacional, pelo Instituto Opus e Leading Group.    

Formação em Mediação de Conflitos, pelo IMAB, e em Mediação Organizacional, pela Trigon e pelo Instituto Ecossocial. Certificações em Inbound Marketing, Inside Sales e Product Management pelo Hubspot, RD University, Universidade Rock Content, Gama Academy e Tera, respectivamente.

Gabriel:

Olá advogado, olá advogada. Seja bem-vindo, seja bem-vinda ao episódio cinquenta e quatro do lawyer to lawyer, o podcast da freelaw. Hoje eu tenho o prazer de conversar com o Victor Nascimento. Como prestar serviços jurídicos para qualquer região do Brasil. E o Victor certamente é uma das melhores pessoas para falar sobre isso, porque ele começou uma carreira bem tradicional e aos poucos foi se inserindo em tecnologia. E hoje ele tem uma empresa de cálculos judiciais que presta serviço para várias regiões do Brasil. Também é parceiro da freelaw, já produziu alguns artigos do blog. Tenho certeza que ele vai contribuir bastante. Estou muito feliz em te receber aqui Victor. E agora, não sei onde você está escutando, vendo ou lendo esse episódio, porque o lawyer to lawyer é o podcast mais acessível do Brasil. Agora você pode ver esse episódio no Youtube, você pode escutar no seu player de áudio favorito e também ler a transcrição. Estou me acostumando aqui agora com esses vários formatos.

O Victor é advogado, formado em dois mil e doze, especialista em Direito Tributário pelo IBET. Ele sempre atuou na área tributária até o ano de dois mil e dezessete. E ai ele passou por um processo seletivo nacional para integrar um projeto de advogados trabalhistas pela JBS, e ele mudou a carreira. Também em dois mil e dezessete ele se formou em contabilidade. E atualmente ele é coordenador da área tributária e trabalhista do escritório Viviane & Ferreiro Sociedade de Advogados. E ele também é fundador da VN grupo, que é uma empresa de cálculos judiciais focada em cálculos trabalhistas. Seja bem-vindo Victor, é um prazer estar te recebendo aqui hoje.

Victor:

Obrigado, Gabriel. O prazer é meu, quero agradecer muito o convite. Espero que a gente consiga passar muitas informações para o pessoal e fazer um bom programa.

Gabriel:

Muito obrigado, Victor! A gente estava conversando aqui antes, você disse que tinha uma coincidência legal da sua carreira e você queria compartilhar com o pessoal aqui. Quem escutou o episódio com o Cristiano Xavier aqui, vai entender melhor um pouquinho sobre isso né Victor?

Victor:

Pois é, exatamente! Então assim, é um grande exemplo, é uma coisa legal porque a gente está acostumado sempre as pessoas falarem sobre um grande exemplo de sucesso na carreira. Pois eu quero dizer um grande erro de carreira meu. Eu ouvi a conversa com o Cristiano e eu lembrei exatamente, tudo que ele falou gente, eu vivi. Eu estava com ele na Localiza na época, só que eu era de um escritório de advocacia, que ele comenta tanto na conversa, e ficava na localiza. E naquele momento que teve aquela internalização, aquela revolução dentro da localiza eu fui convidado para fazer parte do novo projeto. Ainda não era aquela situação tão digital igual ficou depois, aconteceu isso um ano e pouco depois. Mas eu fui convidado e não aceitei a proposta, eu resolvi trabalhar em um outro escritório e foi um grande desvio de carreira. Foi uma grande pena não ter participado daquele momento e quando eu vi ele comentando tudo que aconteceu depois dá uma dorzinha no coração. Mas vida que segue e a vida me levou para outros cantos e as coisas se deram bem também. Mas só esse depoimento que eu acho bem interessante da gente passar também.

Gabriel:

Legal! Às vezes a gente não está no local certo na hora certa né? E às vezes a gente está e perde. Mas o bacana da sua carreira também é que você começou de estagiário até conseguir já fundar a sua empresa saindo já de diversos ramos né? Então, tributário, trabalhista, cálculos. E hoje prestando serviços para várias regiões do Brasil. Primeiro, como você vê esse movimento? Agora com a COVID. Quais impactos você está vendo na advocacia? Como você está vendo a prestação de serviços online? As tendências macro impactando o Direito e a advocacia especificamente. E como funciona na prática a prestação de serviços que você presta hoje? Como você busca oportunidades? Como você capta clientes assim hoje?

Victor:

Entendo! Bem, eu acho que a principal mudança que a COVID vai trazer pra gente é a concorrência entre advogados. Eu só quero chamar atenção que o que a COVID fez foi escancarar um processo que muita gente já sabia que estava acontecendo, que já existia e que só agora outras pessoas se alertaram para esse processo. Que é o processo de globalização mesmo, real, de conexão ilimitada entre pessoas. A partir de agora, com todo mundo entendendo de verdade, tendo vivenciado, porque entender acho que todo mundo sempre entendeu. Mas vivenciado mesmo a situação trazida pela internet é que as possibilidades e a gama que a gente consegue trabalhar usando serviços online, é agora que a gente vivenciou e sentiu na pele, é agora que a gente vai conseguir sentir esse impacto.

Então eu quero só fazer um paralelo mostrando um pouco de como eu fui trabalhando e pelo menos entendendo um pouco, não vou dizer que sou o maior entendedor, mas entendendo um pouco esse processo. Eu comecei dentro de um escritório de advocacia, lá eu entrei como estagiário, fui contratado como advogado e sempre trabalhei na advocacia do modo mais tradicional possível. Que foi aquele contencioso, de chegar fazer petição, ir para o fórum, despachar com juiz, conversar com desembargador, volta para o escritório, faz mais petição, essa vida. E essa vida foi minha primeira experiência com a advocacia, ali nos meus primeiros cinco anos de advocacia basicamente. E sempre no tributário. Eu sempre tive aquela de esse é o meu ponto de trabalho, é aqui que eu vou focar, eu preciso ser o melhor tributarista, entender muito do direito material e processual que eu trabalho para conseguir fornecer o melhor serviço que eu posso ter. Esse foi sempre o meu pensamento, inclusive um dos motivos pelos quais eu sai da localiza na oportunidade que eu falei. Porque eu queria mais experiências diferentes, porque ali a gente tinha uma gama de demandas um pouco restritas dentro da empresa e eu queria outras coisas para ter mais experiência tributária.

E junto com isso apareceu a contabilidade, que eu pensei: olha, como advogado tributarista se eu tiver o entendimento da contabilidade, eu vou conseguir ter muito mais informação e vou conseguir agregar ao meu trabalho tributário muito mais. Foi por isso que eu resolvi fazer o curso de contabilidade, o que é um caminho que muitos advogados tributaristas fazem também. E foi ali dentro do curso de contabilidade que me veio uma grande mudança de pensamento. Eu fiz o meu curso de contabilidade no IBIMEC aqui em Belo Horizonte, eu acho que em São Paulo é o INSPER e eu não lembro muito, acho que nos outros lugares do Brasil ele também é chamado de IBIMEC. E é uma lógica muito mais gerencial da análise do conhecimento. Então na contabilidade todo o conhecimento que eu recebi passou por essa lógica de pensar na empresa, pensar o negócio. E ai eu fui vendo que eu estava montando a minha carreira de um modo que não agregando tanto para as empresas.

O que eu quero dizer com isso? Que quando eu estava focando tanto no contencioso tributário, eu estava ficando no nível mais básico da advocacia. E eu não estava me preparando para agregar valor para as empresas de um modo mais assertivo e de um modo até mesmo mais rentável. E isso foi o que mais me abriu a cabeça e eu vi que não, peraí. O meu trabalho tem que ser um trabalho de agregar valor para a empresa, ele não é de resolver o problema tributário no processo “X”. Ele é como fazer a empresa ter vantagem competitiva entre os seus concorrentes. E ai eu vi que todo aquele foco que eu dei para o tributário, ele estava muito pouco dentro dessa lógica que eu estava pensando. Eu vi que precisava de um outro ramo muito demandado pela empresa, e ai você tem que fazer escolhas né. Claro que toda empresa precisa de todos os ramos do Direito, mas eu já tinha um bom conhecimento de tributário, e qual era o outro ramo que toda empresa precisa e tem uma grande demanda e que eu precisava me fortalecer? Foi o trabalhista.

Foi ai que surgiu o pensamento na minha cabeça: olha, eu preciso aprender sobre o Direito do Trabalho também. E por uma grande coincidência do destino, uma grande oportunidade, veio a JBS com o projeto incrível que ela tem de formação do advogado trabalhista. Então ela contrata advogados, esses advogados ficam três meses recebendo informação sobre Direito do Trabalho, aulas mesmo, é quase uma pós-graduação em Direito do Trabalho. E depois vão para as plantas, eu fui morar em Campo Grande, uma cidade maravilhosa, eu sou de Belo Horizonte, me mudei para lá. Eu e minha esposa, a gente até brinca, que pena que a gente não pôde trazer Campo Grande com a gente quando voltamos para Belo Horizonte, porque é uma cidade incrível. E ai eu tive uma super experiência, eu estava dentro de uma multi nacional imensa como é a JBS, eu estava aprendendo Direito do Trabalho ali na prática e numa outra região, não era nem uma outra cidade, era outra região do país, uma lógica completamente diferente. E eu vi outras demandas, outras necessidades de pessoas, empresas e advogados.

Só que ali eu também estava no mesmo nível. Eu tinha mudado do tributário para o trabalhista mas estava no mesmo nível. No contencioso, de fazer petição, vai para audiência, vai fazer sustentação oral no tribunal. E eu vi que realmente o Direito estava na revolução dele, nessa revolução digital. O tal do direito 4.0. E que eu ainda estava trabalhando muito só no básico. E ai eu tive alguns insights, tive a ideia de juntar tudo aquilo que eu aprendi na parte de gestão no curso de contabilidade. E começar a trabalhar ideias. Eu fiz um BSC para o programa, eu fiz um plano de ação de cinco anos para o programa. Então eu estava começando a fazer tudo aquilo que eu pensei como empresa adaptando para a minha realidade do meu projeto de onde eu estava trabalhando.

E ai quando eu vi que eu estava num passo e a empresa em outro, eu já vi, não! Então bora de uma nova mudança, e agora acho que eu estou realmente pronto para dar um avanço na minha carreira e uma mudança completa na forma de trabalhar. Resolvi voltar para Belo Horizonte, família, amigos, a gente sempre tem aquela vontade mesmo de trabalhar perto de quem a gente gosta, perto de quem a gente ama. Aqui eu tive a oportunidade de conversar com a Viviane, que hoje é a sócia do escritório onde eu trabalho e ela abraçou muito a minha ideia. Então hoje eu consigo conciliar a advocacia junto com a minha empresa. E eu tenho que agradecer muito a Viviane por isso, ela que me possibilita ter essa grande possibilidade.

E tudo isso que estou falando foi para mostrar o seguinte: eu comecei a enxergar essa mudança concorrencial e como o advogado precisa agregar no seu trabalho mais e mais e mais informações que não vão só para o direito material. Mas lógicas diferentes de trabalhar, métodos diferente de trabalho, para conseguir se destacar no mercado. Para conseguir vencer essas barreiras concorrenciais. E onde entra a COVID nisso? Porque a gente está num mundo onde a gente não precisa estar um do lado do outro mais para conseguir atingir grandes resultados. Como eu falei, a COVID chamou atenção para essa possibilidade, mas muita gente só acordou agora.

E agora a gente consegue ver a seguinte situação. O que muitas empresas faziam, hoje qualquer pessoa pode fazer. Antigamente a gente tinha uma lógica de que apenas as grandes empresas tinham uma lógica de ter aquela coisa de um escritório central. Ah eu sou uma grande empresa do norte do país, eu contrato um escritório em São Paulo, esse escritório coordena todo o meu contencioso, toda a minha consultoria, toda a minha parte jurídica e a demanda de onde aparecer no Brasil esse escritório vai resolver. Então se ele precisar contratar um correspondente, se ele despachar vai ver um advogado vai pegar um avião e vai resolver a situação no lugar X, no lugar Y. Isso era o que grandes empresas faziam antes, só que o que ficou escancarado agora, a mudança que eu acho que a COVID traz para a gente é que agora a pequena padaria, a pequena indústria, o pequeno comércio ou até mesmo a pessoa física que está em qualquer lugar do país pode contratar um advogado em qualquer lugar do país.

Pode acontecer daquele funcionário que está lá no interior aqui de Minas Gerais, ele tenha um problema na empresa, está insatisfeito com alguma situação que ele acha que é abusiva e ele vê no Youtube um advogado lá de Campo Grande apresentando uma informação sobre aquilo especificamente que incomoda ele na empresa. E aquele cliente que nunca teria a possibilidade daquele advogado de Campo Grande atender, agora ele consegue. Nós temos aí as ferramentas, elas já existem há um tempo mas agora que vão ser usadas de um modo muito maior.

Então a gente já tem o PJE, então esse cliente pode encaminhar para ele todos os documentos por foto de WhatsApp que o advogado vai transformar em PDF e vai juntar no sistema. A gente tem agora a grande mudança mesmo dentro da justiça que é o que vai possibilitar isso mais ainda, que são as audiências e sessões telepresenciais. Existem críticas sobre o modelo adotado, principalmente em alguns tribunais em que eles estão impondo isso muito fortemente sobre os advogados. Mas essa é uma situação que a COVID trouxe e que eu não acho que vai acabar com ela. Acho que a gente vai ter uma mescla no futuro de sessões presenciais com sessões telepresenciais, até porque a gente já tem as sessões virtuais né, que só tem a presença dos juízes.

E ai a gente tem que a última barreira que era a audiência, já está sendo quebrada. E ai os advogados vão precisar ter formas diferentes de entrar em contato com seus clientes, porque aquela situação onde apenas as pessoas que estão na minha região me contratam, isso está para acabar. As pessoas agora vão procurar a quem forneça o melhor serviço no entendimento delas. Porque a gente volta para uma lógica de confiança dentro da advocacia, sempre a advocacia vai ser uma relação de confiança entre cliente e advogado. Agora, a gente passa por um paradigma que a confiança é estabelecida por “é uma pessoa que eu conheço?”. A confiança deixa de ser a pessoa que eu conheço para ser a pessoa que me convenceu de que ela é a melhor pessoa para prestar aquele serviço para mim. Essas são as grandes mudanças que ocorrem, que vão surgir mais agora com a COVID. E que os advogados vão estar bem espertos. Agora falando especificamente sobre a forma como eu estou atuando.

 Gabriel:

Deixa só eu te interromper rapidinho. Quando se trata do início da sua carreira, eu acho legal que a gente isso aqui várias vezes no podcast. Mas a gente está tendo uma mudança sobre o formato padrão de carreira do profissional do direito. Porque talvez antigamente se eu fosse só especialista em tributário e ficasse só por conta disso, talvez seria suficiente. Mas a partir do momento que eu entendo melhor o meu cliente eu começo a perceber que: opa! O mercado exige que eu além de ser um bom elaborador de petições, um bom advogado com as funções jurídicas propriamente ditas, eu preciso ser um parceiro do negócio do meu cliente. Então eu preciso entender bem o negócio do meu cliente e buscar me especializar para que eu consiga atender as necessidades desse cliente de diferentes formas.

E ai, eu acho que a gente precisa começar a ter uma mudança de paradigma, de ao invés de eu ser especialista em tributário, eu sou especialista não em tributário, eu sou especialista em resolver os problemas de empresas de porte X, Y e Z. Quais são os problemas jurídicos que esse tipo de empresa tem? É tributário, é trabalhista? A gente tem formas, eu posso buscar me especializar ou posso buscar parceiros em diferentes formatos ali. Mas é legal a gente ver esse tipo de tendência acontecendo aqui na prática com o Victor. Além disso, com a questão da COVID e os impactos da tecnologia no Direito a gente está vendo que tem tendências também das empresas poderem agora buscar advogados, bancas, escritórios de advocacia em diferentes locais do Brasil. Existem barreiras ainda para a prestação de serviços jurídicos estritamente online, existem sim. Como a própria audiência que é a principal barreira. Mas essas barreiras estão diminuindo. E a verdade é que com a COVID a tendência é que essas barreiras diminuam de forma cada vez mais rápida.

Então a gente já tem PJE, a gente já tem algumas audiências agora começando a ser telepresenciais. Então a gente já está começando a ter uma mudança de paradigma. Nesse novo mundo, tem o impacto ali prático que aumenta a concorrência. Porque se qualquer advogado pode prestar serviço para qualquer cliente, eu paro de concorrer só com advogados da minha cidade, no meu Estado e eu passo a concorrer com advogados de qualquer lugar do Brasil ou até do mundo. E tem o impacto também na própria estrutura organizacional dos escritórios de advocacia. Porque se antigamente eu precisava ter uma equipe gigante aqui, todo mundo no mesmo prédio, todo mundo trabalhando junto, na mesma cidade. Agora talvez eu não precise mais, porque se uma petição pode ser feita de qualquer lugar do Brasil, de qualquer lugar do mundo pra que eu vou aumentar o meu custo fixo e ter todo mundo aqui comigo? Então acho que essas tendências estão muito fortes e acho que você trouxe isso muito bem com a sua visão. Não sei se você concorda.

Victor:

Concordo! Concordo plenamente. É como eu falei, tudo já existia. Skype já existia, google meet já existia, o PJE já existia, só que as pessoas ficavam de olhos fechados para essa tecnologia e não entendiam o impacto que elas poderiam ter no próprio trabalho. O que eu quero chamar mais atenção, e aqui é uma situação bem importante, a concorrência vira nacional, mas a possibilidade de demanda também vira nacional. Então eu também aqui em Belo Horizonte posso atender pessoas do Brasil inteiro.

Então o pensamento agora, ele vai de como eu vou me destacar em relação as demais pessoas para chamar clientes para mim? E agora esse destaque que antes era, basicamente, como eu vou me destacar na minha cidade. Agora é como eu vou me destacar online? E é preciso falar, é destaque online, é presença digital. O escritório precisa ter o seu site, o escritório precisa fazer conteúdo, precisa fazer o tempo todo modos de ser visto. E ser visto por todas as pessoas, para ganhar referência que vai ser a grande mudança.

Eu acho que esse ponto de que a confiança passa a ser da pessoa que eu conheço para a pessoa que eu entendo ser a melhor prestadora do serviço, ela vai ser uma grande mudança na prestação de serviços do advogados.

Isso tudo que a gente está falando vai na lógica de eu sócio, de eu dono de escritório de advocacia. Eu preciso ter essa presença online, eu preciso pensar essa forma de trabalhar não tão presencial. Mas a partir do momento em que sócios e donos de grandes bancas ou pequenas bancas se estruturam para isso, isso já vira um impacto também na vida do advogado. Porque a concorrência por uma vaga vai aumentar também.

A gente sempre vê muitos advogados reclamando sobre valores muitos baixos né? Salários de mil, mil e quinhentos reais para advogados, e isso acontece por causa de concorrência. Eu acho que o Brasil já passou a marca de um milhão de advogados. Então quando a gente tem mais de um milhão de força de trabalho, lei da oferta e demanda. A gente vai começar a ter essa situação de que o salário vai diminuir.

E agora, além do salário estar baixo, você precisa se preparar para se destacar de uma forma, porque nada impede. Vamos voltar para exemplos aqui, um escritório de Manaus contrate um advogado em São Paulo. Então quando eu estou querendo aumentar a minha base de clientes e preciso contratar alguém, um super especialista. Eu não preciso mais, vamos colocar alguém que seja dessas regiões que são mais afastadas dos grandes centros e que normalmente tem que oferecer grandes salários para tirar os profissionais dos grandes centros.

Então, essa pessoa não precisa mais fornecer esse grande diferencial. Ele pode ter o grande diferencial de: eu vou conseguir, pelo mesmo preço que eu pago para um local pegar um profissional extremamente qualificado em outra região do país para fazer o serviço online.

E você que acabou ficando para trás, precisa se ligar nessa situação. Precisa estar ciente de que a sua concorrência virou nacional também. A gente tem a CTPS digital, você consegue contratar empregados para prestar serviços para você sem esse empregado entregar qualquer documento para a sua empresa. Tudo feito de forma online, tudo feito de forma remota.

Isso é um grande paradigma na forma como eu me preparo para o mercado de trabalho. Especificamente a minha empresa, hoje eu tenho um escritório online de verdade. O que eu quero dizer online de verdade? Eu não tenho nenhuma pasta física aqui no meu ambiente de trabalho. É o meu computador, e todo o trabalho da minha empresa é feito online mesmo! E é online, eu não uso nem as pastas do meu computador porque eu tenho medo de acontecer alguma coisa com o computador e perder todos os arquivos dos meus clientes.

Mas tudo que eu faço é via, meu principal fornecer é o google. Então eu não uso nem excel e word, eu uso planilha do google e o editor de texto do google. Eu faço tudo por lá, porque eu não quero depender de processos físicos. De ter na minha máquina a versão mais recente do Windows. Não! Eu construo tudo de uma forma extremamente remota, de uma forma extremamente online.

E isso te traz uma situação de bastante liberdade junto com uma gestão financeira da empresa muito grande. Então, sem o menor problema de dizer, eu pago para o google mensalmente vinte e quatro reais e trinta centavos. Com isso eu tenho contas de e-mails ilimitadas, e eu tenho todas as demandas dos meus clientes feitas e atendidas de forma online. Não é de forma digital, é de forma online mesmo, eu quero fazer essa diferenciação para a gente não ficar naquela coisa presa de meu computador. A gente precisa de backup, precisa ter essa informações, eu tenho essas informações também seja em hardwares, seja em outras nuvens. Mas eu quero chamar muito atenção para quão baixo é o meu custo. E eu consigo atender absurdamente tudo que eu preciso de todos os meus clientes.

E ainda faço gerenciamento de espaço dentro da minha plataforma. Porque esse valor que eu pago para o google, me dá um espaço menor. Porque é o que eu preciso hoje. Quando eu precisar mais eu vou fazer uma diferenciação.

Gabriel:

E como é que um concorrente compete com um advogado que trabalha assim, né? Imagina, a gente tem dois escritórios de advocacia ou duas empresas, um escritório de advocacia tem custo zero porque está trabalhando todo mundo online, na verdade vinte e quatro e noventa que paga ali de serviço, paga o salário dos colaboradores, mas com um custo fixo bem menor, uma sede bem menor, com menos pompa. Versus um outro escritório que tem ali quatro andares de um prédio para ele com uma estrutura gigantesca. Claramente quem reduz custo fixo também consegue reduzir o preço final do serviço que vai ofertar. Sem que isso esteja aviltando honorário, é um ganha-ganha para todo mundo. O advogado ganha, o cliente ganha, todo mundo sai ganhando. E com isso a gente consegue prestar serviços melhores, mas com custos mais baixos e de forma mais ágil.

Então, a gente está numa mudança de era. Quem quiser aproveitar, vai aproveitar, e quem não quiser aproveitar a verdade é que cedo ou tarde vai perder para o concorrente. Porque o concorrente vai prestar serviço de uma forma que é impossível alguém com uma estrutura antiga consiga competir. Acho que assim que a gente enxerga aqui na freelaw. Nosso propósito é bem forte de ajudar escritórios a criarem um modelo mais enxuto de advocacia. Não precisa ser tudo daquela forma antiga. Não precisa ter uma equipe gigante para atender todas as áreas, a gente não precisa ter uma estrutura gigante. A gente estava conversando aqui antes de gravar o episódio, eu e o Victor.  E ai eu falei assim: complicado né, isolamento social, está difícil. Falo assim: realmente está difícil, muitas coisas ruins, mas por outro lado, dentro do home office especificamente, a gente está vendo que conseguimos trabalhar até melhor que lá no escritório. Eu estou aqui no meu quarto no momento que gravo esse episódio, estou muito confortável, estou muito feliz de estar aqui, prefiro muito mais do que estar no escritório físico. E é legal a gente ver essas mudanças né, Victor?

Victor:

Sim, muito legal! E esse entendimento, eu quero chamar muito atenção do seu custo, é a parte que a freelaw tenta chamar atenção o tempo todo dos advogados. Que é o pensamento estratégico da sua empresa. Porque eu quero chamar atenção para um ponto que é passado batido. O que é esse planejamento estratégico? Um dos pontos mais difíceis do planejamento estratégico de uma empresa inclusive é dizer não. E você só vai saber dizer não se você souber se aquilo compensa ou não.

Isso é uma lógica até contábil, assim, margem de contribuição. É um conceito contábil de margem de contribuição. Você tem um custo fixo ali no seu escritório, vamos colocar assim na sua empresa, você tem um custo fixo. E o valor do seu serviço vai estar ligado ao quanto aquele serviço contribui, qual é a margem que ele gera para pagar o seu custo fixo e gerar lucro.

O que eu quero chamar atenção para isso? Quanto maior o seu custo fixo, quanto maior a sua estrutura e se você não repensar ela, você vai manter ela sempre crescente ao invés de diminuir, o que é a tendência, você sempre vai precisar prestar um serviço mais caro para gerar mais margem, para gerar mais valor, para fazer aquele pagamento, pagar todo aquele custo.

E o que eu estava querendo dizer quando você precisa dizer não? Quantos advogados já estiveram naquela situação: você tem a procedência total da ação, ganhou tudo que pediu, e no final das contas depois de quatro anos de trabalho. Isso acontece muito com trabalhista, principalmente. Mas depois de quatro anos de trabalho, depois de diversas idas em fórum, diversas audiências, horas peticionando, horas procurando jurisprudência, muito esforço empregado em um projeto e no final das contas você receber os honorários de quatrocentos reais. Porque foi aquele serviço prestado.

Eu tenho um amigo especificamente que ele reclama muito de um processo que foi até o TST e depois desceu. E foi atrás de bens da empresa, e anos e anos e anos até que conseguiram executar os bens. Até que na hora que foi pegar os honorários dele mesmo, deu coisa de quatrocentos reais.

O que eu quero chamar atenção? É que um dos serviços que presto, uma das ideias é passar para o advogado o valor do trabalho dele. Então pode ser muito interessante para os advogados, já quando forem contratados, procurados por um cliente, passar a enxergar também se dentro da sua estrutura compensa aquela demanda. Que eu acho que muita gente naquilo de: preciso de cliente, preciso de cliente, preciso de cliente. Não percebe que algum cliente pode acabar trazendo prejuízo para ela.

E quando que ele vai trazer prejuízo? Quando você tem uma estrutura muito cara. A partir do momento que você tem uma estrutura muito baixa, qualquer cliente vai trazer lucro, ainda que o resultado seja baixo. E você consegue fazer isso não necessariamente gastando muito.

Ok, eu presto serviço de cálculos judiciais para advogados. Mas você tem ferramentas que possibilitam você desde o início qual é mais ou menos o resultado com aquela demanda. Para então saber se ela vale a pena ou não dentro da sua lógica.

Principalmente para quem é advogado trabalhista, que é uma das áreas que tem mais foco da minha empresa hoje. A gente tem o PJe calc que é uma ferramenta fornecida pela justiça do trabalho. Uma ferramenta excelente, gratuita. Que vai resolver 99,99% das demandas de cálculo de qualquer empresa. Tem manual para utilizar, tem diversos vídeos no youtube explicando como usar a ferramenta. Então, você tem à sua disposição diversas ferramentas e formas de trabalhar para reduzir o seu custo e depois ainda verificar se aquele cliente é estrategicamente benéfico para o seu escritório, para a sua forma de trabalhar.

E eu quero chamar atenção para isso porque a gente está falando de uma ferramenta de planejamento estratégico gratuita, disponibilizada pelo judiciário e que as pessoas acabar não usando. Não é porque eu presto esse serviço, mas eu não recomendo o advogado a fazer todos os cálculos da empresa dele. Se você quer fazer, faça. Eu não recomendo porque demanda muito tempo. Se não é o seu foco, você vai demandar mais tempo do que outra pessoa demandaria. Eu tenho diversas ferramentas que me auxiliam a ganhar tempo nessa prestação de serviço, se não eu não consigo oferecer ela em um preço bom dentro de um tempo muito bom.

Então eu não recomendo. Mas pode ser interessante você ter essas ferramentas para ter uma ideia de como aquilo pode agregar para você. E porque é interessante a gente falar dessas ferramentas? Porque elas são gratuitas, e quando a gente vai falar de ferramentas e de Direito Digital a gente só pensa naquela lógica de: nossa! Eu vou ter que contratar um serviço extremamente caro. Um software absurdamente pesado para ter algo digital na minha empresa.

Tem um episódio aqui do podcast da freelaw em que o Deoclides fala sobre jurimetria. Ele estava dando um exemplo de números, se não me engano os orçamentos dos trabalhos de 630 mil reais uma lógica, 150 mil reais. Quando a gente está pensando na era digital do Direito, eu tenho certeza que muito advogado pensa: não, isso daí é aquela coisa de inteligência artificial que está totalmente longe do meu escritório porque isso é uma coisa absurdamente cara. Não! Eu quero chamar atenção que nós temos ferramentas que vão auxiliar o planejamento estratégico da sua empresa, na análise de sua uma demanda é boa ou não para a sua empresa gratuitas. E ela não é só gratuita, ela é gratuita e acessível.

O PJe calc basicamente é um sistema que não é complexo mas não é intuitivo. Então você precisa realmente de uma ajuda na utilização dele. Mas existem tantas informações de como usar o sistema disponíveis gratuitas no youtube, na internet num geral que podem auxiliar o advogado naquele pequeno processo que ele precisa. E voltando, quanto menor o seu custo sempre maior o lucro que você vai ter. E ainda conseguindo prestar um serviço num preço acessível.

Gabriel:

Legal! E eu acho que está muito conectado com o uso ou não de tecnologia. Porque às vezes uma tecnologia que você utiliza vai reduzir drasticamente o seu custo fixo. Então se você não conhece essa ferramenta por exemplo, você vai estar ali prestando serviços mais caros para os seus clientes. Por que? Você não conseguia prestar uma forma mais eficiente. Tem muita tecnologia ai de baixo custo, às vezes até de graça mesmo que pode gerar mais eficiência para o seu escritório de advocacia. O Victor falou bastante sobre a gente entender melhor qual demanda faz sentido pegar, qual demanda não faz sentido. Queria só aproveitar para divulgar uma aula que a gente deu no curso online da freelaw sobre precificação de honorários advocatícios. Nessa aula a gente mostrou como você pode fazer algumas estimativas que podem te ajudar a saber se uma demanda é rentável ou não para o seu escritório, se vale a pena pegar essa demanda ou não. Talvez vocês possam se interessar. E tem muita coisa gratuita, tem o relatório da justiça em números que foi citado pelo Deoclides naquele episódio, tem o PJe calc que eu mesmo não conheço porque eu não sou especialista na área, mas tem muita coisa gratuita. Se a gente for ver até a própria freelaw mesmo, nós somos uma tecnologia que é bastante acessível para pequenos escritórios, porque primeiro você não paga para cadastrar, você quem você quer pelo valor que você negocia com aquela pessoa ali, de acordo com a especialidade que você quer. Então tem desde de doutor em direito, para quem quer pessoas mais qualificadas, para advogados com menos anos de experiência que podem cobrar um valor mais acessível para a sua realidade. Acho que é isso, tem muita coisa boa aí que está surgindo né, Victor? Você tem algum recado final? O que você tem de conclusão do episódio de hoje?

Victor:

Bem, eu só quero agradecer mesmo a oportunidade. Acho que os contatos vão ser passados né? Quem quiser discutir mais, quem quiser saber mais sobre essa situação toda. E quiser procurar, a gente bate papo, está sempre disponível. Mas o recado final que fica é vamos realmente, dentro de tudo que precisou mudar na sua empresa por causa da COVID, o que aquilo pode ser mantido? O que daquilo que você tirou de bom? Ah eu não consigo me desfazer da minha sala, não consigo ter um escritório online. Tudo bem! Mas você precisa do seu escritório no tamanho que é? De repente pode ser essa a sua análise. Uma coisa que já acontecia antes da pandemia e que eu acho que vai mais também, é a questão do rodízio de mesa. Rodízio de ambiente de trabalho, aquele ambiente de trabalho específico, aquela mesa de trabalho, ela é do fulano na segunda, na quarta e na sexta, e do ciclano na terça, na quinta e no sábado. Essa pode ser uma lógica que o seu escritório pode montar, de repente o seu escritório está crescendo, você vai ter que contratar mais pessoas. Parabéns, excelente, se está precisando contratar está tudo indo muito bem. E você está assim: caramba, estou precisando contratar mas não cabe mais ninguém aqui, o que eu vou fazer? Vou fazer uma reforma no meu andar, vou fazer uma reforma no meu escritório. Não, de repente você pode adotar o rodízio do home office dentro do seu escritório. Um dia da semana você vai ter sempre alguém do seu escritório trabalhando de casa.

E fiquem atentos à concorrência. Fiquem atentos de que a concorrência agora, eu vou falar nacional, mas ela pode virar global ainda. Fiquem muito atentos para isso! E sempre tentem prestar o melhor serviço para o seu cliente dentro do preço justo, dentro daquele preço que vai gerar um bom retorno para você e para o seu cliente. Essa é uma fala que ficou muito na conversa que teve com o Cristiano né? De primeiro entrega dinheiro para empresa, que foi assim que ele conseguiu fazer as nuances que ele fez na Localiza. Primeiro ele mostrou um grande resultado, mostrou um grande valor que ele deu para a empresa e depois ele conseguiu montar outras estratégias. Então mostre para o seu cliente o valor que você está agregando para ele, que a prestação de serviços que você faz gera para ele. E ai você vai conseguir muito mais demandas, você vai conseguir muito mais cliente.

E ai acho que esse insight que veio para mim durante a nossa conversa de que a relação de advogado e cliente ela é uma relação de confiança, para mim se mantém. O que muda qual é a origem dessa confiança, que antes era eu confio porque eu conheço, agora é eu confio porque eu vejo em você o melhor prestador desse serviço. Precisa ter muita atenção porque eu acho que isso pode ser uma das grandes mudanças na lógica de contratação de advogado daqui para frente. Gabriel, muito obrigado pela oportunidade novamente, de estar trabalhando junto aí. Sempre à disposição de vocês, tá bom? Pessoal, a freelaw é uma grande ferramenta, quem tiver a oportunidade e quem precisar, conheça e procure. Seja como prestador de serviço, seja como tomador de serviço. Eu recomendo muito, viu pessoal.

Gabriel:

Obrigado pelas palavras, Victor. Eu acho que eu recomendo muito que vocês vão lá na freelaw para contratar alguém como o Victor lá, porque certamente  vai contribuir para a realidade do escritório de vocês. Ou então para prestar serviços como o Victor faz conosco. Tenho o prazer já de ter essa relação próxima. E uma das coisas boas que aconteceram ai na freelaw é estar se relacionando com pessoas especialistas em diferentes áreas do direito. Até área não só do direito como também de contabilidade que é o seu caso. Muito bom! Aprendi bastante aqui nesse papo com você. Agradeço bastante a todos que estão vendo o episódio, todos que estão escutando e todos que estão lendo essa transcrição desse episódio. Espero que vocês tenham gostado e a gente se vê novamente na próxima quarta-feira com mais um convidado especial. Um abraço, pessoal.

Posts relacionados

Deixe um comentário