Muitas pessoas dizem que seguir uma carreira jurídica é bastante interessante porque “o direito abre diversos tipos de possibilidade.”

É possível seguir carreira corporativa, abrir um próprio escritório de advocacia, concurso público, buscar uma carreira internacional e muito mais. Há inúmeras opções para o profissional no mercado jurídico – e cada uma vem com seus desafios, tendências e requisitos.

Para quem quer advogar, por exemplo, o futuro é a advocacia 4.0. Se é o seu caso, esse manual completo da advocacia 4.0 pode ajudar. Se não, continue lendo para saber mais sobre as opções e desafios no mercado.

Tem dúvidas quanto a qual carreira jurídica seguir? Ou sobre as tendências do mercado?  Sobre como se destacar em um mercado cada vez mais competitivo? Continue lendo!

Panorama Geral da Carreira Jurídica

O cenário do mercado jurídico atual é desafiador e, para muitos, desencorajador. Os dados explicam melhor o motivo:

O Brasil possui hoje mais de 1.2 milhão de advogados inscritos na OAB. Isso significa que, a cada 175 pessoas no país, uma é advogada.

Além disso, o país possui cerca de 1.400 faculdades de direito. Isso significa que o Brasil possui mais faculdades de direito abertas do que o resto do mundo inteiro em conjunto.

A concorrência tende a aumentar, ao menos em quantidade. Em qualidade, no entanto, o cenário pode ser diferente – e é aí que entra sua oportunidade de se destacar.

Profissionais dispostos a se manter atualizados nas tendências tecnológicas e de mercado têm uma vantagem em relação aos concorrentes

Isso porque, conforme estudos da Singularity University mostram, 85% das profissões que existirão em 2030 ainda não existem.

Isso significa que o cenário do mercado de trabalho atual, tanto no direito quanto em qualquer outro segmento, é bastante volátil e incerto.

O surgimento de uma nova tecnologia ou de um novo aplicativo pode fazer com que novas leis sejam criadas, outras sejam extintas e, da mesma forma, novos modelos de trabalho sejam desenvolvidos e outros extinguidos.

Por isso, além de desenvolver uma carreira jurídica pautada pelo estudo do direito propriamente dito é cada vez mais necessário o desenvolvimento de novas habilidades comportamentais, também chamadas de soft skills, como:

  • Comunicação Efetiva;
  • Pensamento Criativo;
  • Resiliência;
  • Empatia;
  • Liderança;
  • Ética no trabalho.
Imagem descrevendo as 6 soft skills mais valorizadas pelo mercado, segundo a Forbes. Panorama Geral da Carreira Jurídica - Freelaw.

Essa foi a lista das 06 Soft Skills mais valorizadas pelo mercado, segundo a Forbes.

E essas habilidades junto ao conhecimento das novas tecnologias estão impactando o direito, como as Lawtechs. Sendo assim, diferenciais competitivos tanto para as carreiras jurídicas “tradicionais”, quanto para as novas carreiras que estão surgindo.

Se quiser aprofundar seus conhecimentos sobre o assunto, confira esta aula sobre soft skills, parte do curso online da Freelaw:

Quais possibilidades de carreira jurídica existem atualmente?

Imagem mostrando um advogado confuso com tantos caminhos possíveis para seguir na advocacia,

No primeiro dia de aula na faculdade de direito, é comum que os professores perguntem: “Você quer advogar ou fazer concurso público?

Também é comum os alunos entrarem com a perspectiva, equivocada, de que só existem as duas opções para quem seguir carreira jurídica. 

Decerto são duas opções com um amplo leque de oportunidades: o advogado pode escolher entre diversas áreas para se especializar – ou optar por ser um advogado generalista – e o concurseiro possui um número enorme de opções de carreira pública para seguir.

Mas, a verdade é que é possível fazer muito mais:

  • Você pode se tornar um empreendedor jurídico e atuar na gestão jurídica de um escritório de advocacia;
  • Você pode atuar como Legal Growth Hacker e buscar formas para aumentar o faturamento do escritório e diminuir suas despesas;
  • Você pode atuar na área de Marketing Jurídico;
  • Você pode atuar como Legal Designer;
  • Você pode atuar na área de negócios para empresas que possuem uma atuação em ambientes muito regulados, como as Fintechs;
  • Você pode se tornar um mediador de conflitos e atuar com métodos adequados de solução de conflitos;
  • Você pode explorar novas áreas, como a LGPD e se tornar Data Prottection Officer;
  • E… por que não desenvolver tecnologias para solucionar os problemas dos operadores do direito? Criar uma Lawtech também pode ser um caminho!

E, além disso, na própria advocacia, existem diversos caminhos:

As oportunidades são tantas, que existem advogados, como o Pedro Custódio, que trabalha online e mora em um sítio.

O direito e suas inúmeras possibilidades

Além da advocacia, é possível investir na carreira acadêmica, atuar na área de consultoria jurídica ou ainda empreender, se tornando um gestor de um escritório, por exemplo.

Paula Figueiredo elabora no podcast Lawyer to Lawyer, falando sobre Direito para fazer negócios. Você pode ouvir aqui:

Assim como, existem advogados bem-sucedidos que atuam na área de inside sales ou inbound marketing em Startups.

Em todos os casos, o conhecimento jurídico auxilia, mesmo que indiretamente na capacidade de resolução de problemas, oratória, raciocínio crítico e argumentação.

E, além disso, com a evolução de Lawtechs e Legaltechs como a Freelaw, novas possibilidades de trabalho começaram a surgir:

Quais os desafios a superar nas carreiras jurídicas?

Cada carreira possui desafios específicos a superar, e alguns surgem em decorrência de dificuldades e oportunidades pessoais. Aqui, o foco são as dificuldades e desafios enfrentados pelos profissionais jurídicos em geral. Os principais, mais vistos na área, são:

  • Escolher qual carreira seguir: com tantas opções, é comum que se encontre dificuldades para definir a carreira a seguir. 
  • Gerenciar os próprios projetos e o próprio tempo: sejam projetos de trabalho, de estudo ou pessoais, o gerenciamento de documentos, prazos e até financeiro é uma dificuldade comum entre os profissionais formados em direito. As soft skills já mencionadas são um primeiro passo para superar esse desafio. 
  • Manter-se por dentro das novas tecnologias ou mesmo utilizar as já existentes: o direito ainda é um ramo conservador e tradicional, e é comum que as faculdades forem mentes preparadas para aplicar os conhecimentos em direito material e processual, mas sem o devido preparo para utilizar tecnologias. Daqui, surge o problema de falta de otimização do tempo e das próprias atividades.
  • Captar clientes e construir autoridade: Nesse aspecto não se encaixam os servidores públicos, mas advogados, empreendedores e outros operadores do direito constantemente lidam com a dificuldade para captar e manter clientes. Além disso, o Código de Ética da OAB é bem rigoroso, para proteção do advogado, quanto à publicidade e divulgação, dificultando para muitos a construção de autoridade no mercado.

Para os advogados, a resposta para os desafios se encontra na advocacia 4.0. Além disso, você pode conferir uma aula completa sobre como conseguir mais clientes aqui:

A aula também é parte do curso gratuito da Freelaw. Se gostar do conteúdo, você também pode compartilhar no Twitter clicando aqui, ou no Facebook clicando neste link

O uso da tecnologia para criar soluções no mercado jurídico: como a tecnologia pode ajudar?

A tecnologia abre as portas para mais opções de carreiras jurídicas. O advogado pode ir além da advocacia tradicional utilizando o conhecimento em direito para criar soluções para problemas no mercado jurídico, desenvolvendo alguma dessas lawtechs

Segundo a AB2L – Associação Brasileira de Lawtechs & LegalTechs, as legal/lawtechs estão divididas em 12 principais categorias e já existem mais de uma centena delas.

Como por exemplo, a Freelaw, que foi fundada por dois advogados que identificaram uma dor e uma oportunidade no mercado.

Além disso, a tecnologia oferece soluções práticas para problemas de gestão, controle de processos e prazos, controle financeiro e até mesmo para captação de clientes. O leque de oportunidades é extenso. Depende apenas de seu interesse em buscar atualizações e métodos alternativos para lidar com o que causa dificuldades em seu trabalho.

Se quiser saber mais, veja este conteúdo sobre as amplas oportunidades existentes para quem integra direito e tecnologia. Ou, se preferir, ouça o episódio  

A tecnologia pode, inclusive, ajudá-lo a se destacar no mercado.

Como se destacar no mercado?

O termo utilizado para quem quer se destacar no mercado é ‘construir autoridade’. Encare seu trabalho, sua carreira, como uma marca.

Pense em como marcas populares – como Itaú, Bradesco, Banco do Brasil, Skol, Brahma, Uber, Netflix – lidam com a própria autoridade. Com um gerenciamento de marketing e vendas alinhado não só aos interesses do cliente, mas também aos acontecimentos sazonais e inesperados.

Para um operador do direito, construir essa autoridade, vender e elaborar a própria marca, demanda um bom relacionamento com clientes, boa gestão do tempo e do serviço – para garantir a qualidade – e adoção de algumas estratégias de marketing.

Divulgando os próprios serviços e oferecendo conhecimento em redes sociais, e através da recomendação de clientes satisfeitos, pouco a pouco o profissional constrói autoridade no mercado. Não é um processo instantâneo, demanda tempo, investimento – de tempo e conhecimentos principalmente – e dedicação.

Atualmente, o consumidor possui um número amplo de opções de consumo, de forma que o importante não é somente mostrar que você presta um serviço, mas também demonstrar por que você é a pessoa certa para auxiliar nas demandas do potencial cliente.

Atendimentos personalizados, focados nas dores e necessidades do cliente, são cada vez mais valorizados. Aliado a um serviço de qualidade, as chances são altas de você conseguir que o cliente recomende-o a outros, e aos poucos essas recomendações se transformam em autoridade e reconhecimento amplo.

A chave para aderir às tendências é manter-se em constante atualização e abrir a mente para a aplicação de tecnologias e inovação no seu trabalho.

Ficou curioso em como aproveitar esse movimento do mercado? Deixe suas dúvidas e opiniões nos comentários desse post e continue acompanhando os conteúdos da Freelaw!